Blog Calça Thai - Estilo, moda, novidades e notícias do universo Thai – tagged "Tailândia"

Calça Thai

Poder, inteligência e prosperidade: conheça o simbolismo do Elefante na cultura Tailandesa

02 Janeiro 2018
0 Comentários

Escrito por Calça Thai

Aqui na Calça Thai fazemos calças mas também somos amantes da Tailândia e da cultura tailandesa.

Poder, inteligência e prosperidade: conheça o simbolismo do Elefante na cultura Tailandesa

Você já deve ter reparado que diversos produtos Calça Thai trazem em sua estampa o Elefante. Calça Mata, Chang, e as mais novas Bolsa Chang e Calça Boa Sorte carregam todo o simbolismo desse animal que foi fundamental na história da Tailândia e permanece até hoje sendo emblema do nosso país.

Tempos atrás, os Elefantes tailandeses foram usados em guerras, e mais recentemente, como animais de carga, especialmente pela indústria madeireira, mas a importância desses animais vai muito além de tarefas práticas que requerem força.    

Elefantes Tailandia

Desde o início...

Por toda história da Tailândia, o Elefante (ou Chang em tailandês) esteve presente e foi fundamental em algumas missões importantes, como auxílio na construção dos templos, na abertura de florestas e no transporte de madeira. Antes do século XVIII, eles foram a principal força do exército durante as guerras no sudeste asiático, sendo a forma mais eficaz de transporte no campo de batalha (assim como as cavalarias nos países ocidentais). Na época, acreditava-se que quanto mais Elefantes um exército possuísse, mas bem preparado para a guerra ele estaria.

Assim, os Elefantes sempre foram importantes em tarefas que exigiam força, mas além disso, eles demonstravam muito talento e inteligência para realizar diversas atividades.  

Representação espiritual

Para os tailandeses, o Elefante é um animal sagrado, símbolo de prosperidade e bem-estar. Com significados espirituais importantes, os Elefantes têm forte relação com as crenças do budismo e do hinduísmo. Segundo uma lenda budista, a rainha Maya sonhou que um Elefante Branco penetrava em seu ventre pela axila direita. Em seguida, a rainha percebeu que estava grávida de Sidarta (Buda) e o Elefante se tornou um símbolo extremamente favorável e promissor para o povo.

Já o budismo tailandês incorporou elementos do hinduísmo. Assim, santuários com deuses e divindades hindus podem ser vistos por toda Tailândia. Imagens de Ganesha (o deus hindu com cabeça de Elefante) e Airâvata (o deus Elefante) podem ser facilmente encontradas pelo país.

O Elefante Branco

Na Tailândia, os Elefantes Brancos são símbolo de boa sorte por sua conexão com o nascimento de Buda e por pertencerem ao rei. Com sua presença majestosa, movimentos e agilidades únicos, tradicionalmente, o Elefante simboliza o poder real. Há muitos anos, quanto mais Elefantes um rei tivesse (especialmente os Brancos) mais status e poder ele usufruía.

De 1855 a 1916, a bandeira nacional da Tailândia (região chamada de Sião na época) trazia o desenho de um Elefante Branco em um fundo vermelho. Até hoje, o Elefante Branco está presente na bandeira naval tailandesa. Curiosamente, os Elefantes Brancos não são exatamente albinos. Na verdade, eles contam com uma tonalidade de pele mais clara que os cinzas, essa mais próxima ao rosa, do que ao branco.

E você sabe de onde vem a expressão ‘Elefante Branco’? Acredita-se que ela tenha origem na época em que os reis costumavam dar Elefantes Brancos como presente. Funcionava mais ou menos assim: se alguém estivesse a favor do rei, um terreno seria dado juntamente com um Elefante. Entretanto, se o rei tivesse interesse em provar algo a alguém que precisasse de uma lição, o Elefante seria dado, mas sem a terra. Como era proibido que um Elefante real fosse vendido ou usado para trabalho, a manutenção do animal se tornava extremamente cara; e sem a terra, quem recebeu o ‘presente’ normalmente não conseguia dar as condições adequadas ao animal e ia à falência.  

Muito além da Tailândia

Simbolismo Tailandia

Mas esses frondosos animais não são importantes apenas na Tailândia ou na Ásia! Os Elefantes também estão presentes no Cristianismo (como símbolo de pureza), no Feng Shui (boa sorte, proteção, sabedoria e fertilidade), na África (símbolo de força, vigor, longevidade e lealdade), na Europa, na literatura (quem não lembra de Babar, aquela família muito especial de Elefantes?), na TV e no cinema!  

Gostou de saber mais sobre o nosso animal favorito e grande símbolo da cultura tailandesa?! Então aproveite e traga a boa sorte do Elefante para o seu dia a dia!


Por que não participamos da Black Friday?

Temos vários motivos pra não participar da Black Friday ou de qualquer outra onda de promoções temporárias. Eles se devem à nossa forma de trabalhar e à nossa filosofia de Comércio Justo, baseada nos 10 princípios de Comércio Justo estabelecidos pela Organização Mundial de Comércio Justo. Já falamos de alguns deles por aqui e agora vamos te explicar melhor cada um desses motivos.

A Calça Thai é uma marca com produtos que vêm direto da Tailândia. A primeira loja online que traz produtos tailandeses para o Brasil. Nos preocupamos com o meio ambiente, por isso as nossas peças são veganas, feitas com algodão ou fibra de bambu, e produzidas por artesãos locais de vilarejos do norte do país.

Nós nos preocupamos em não sermos responsáveis por trabalho infantil de menores de 18 anos, forçado ou escravo e também pagamos o mesmo salário a todos os funcionários, sejam homens ou mulheres. As oportunidades também são as mesmas pra ambos os sexos, sem discriminação.

Esta é nossa maneira de valorizar relações mais humanas em toda a cadeia de produção. Respeitando o trabalho de quem faz cada peça, estamos respeitando tradições milenares da Tailândia, imprimindo em nossas roupas as estampas e as cores discretas e também chamativas do povo tailandês. Cada parte do processo, desde a escolha dos modelos que serão vendidos até a entrega ao consumidor, são pensados com carinho e cuidado.

Black Friday costureira

Por ter esse cuidado, percebemos que os artesãos não teriam como comprar matéria-prima se não tinham dinheiro, por isso pagamos adiantado, para que eles possam adquirir o material de seu trabalho e sustento sem dívidas.

Com isso, nosso objetivo é garantir sempre uma produção sustentável com um preço justo tanto para quem produz como para quem compra as nossas peças. Sempre pra gente significa o ano inteiro e não em apenas um dia. Deu pra ver que somos diferentes da maioria das empresas. E é por tudo isso que não fazemos descontos na Black Friday.

Esses descontos poderiam acarretar em prejuízos em alguma parte do processo e acabar afetando a linha de produção justa que tanto prezamos. Não vamos correr esse risco, afinal, estaríamos indo contra os nossos valores e também contra os valores que nossos clientes confiam que praticamos.

Podem continuar confiando! Seguindo a nossa filosofia de comércio justo, nossos preços agora, no ano de 2017, são os mesmos do ano passado. Aliás, pela prática do comércio justo, nós da Calça Thai trabalhamos com a política de custos abertos, ou seja, nossos custos estão abertos aos nossos clientes.

O preço que você vê no nosso site é o preço que você vai pagar pelo produto, sem taxas escondidas. Ao fazer o pagamento, por exemplo, não há custos extras por diferentes formas de pagamento. Não estamos preocupados em sermos uma empresa gigantesca, mas sim em crescer, ainda que lentamente, de maneira completamente sustentável e constante.

A cada peça que os brasileiros compram da produção tailandesa, as duas culturas se aproximam. Os tailandeses vão aprendendo sobre o que os brasileiros gostam de acordo com os modelos e cores pedidas. E os brasileiros vão entendendo como funciona a cultura, a religião e os costumes tailandeses ao verem as cores e os desenhos estampados feitos pelos artesãos e artesãs.

artesãs cores tailândia

Queremos, assim, ver nossos clientes felizes com produtos de boa qualidade e, portanto, duradouros. Nossas roupas não saem de moda, são atemporais. Se tornam parte do seu cotidiano em diferentes estações do ano e ocasiões. Pode ser usada em uma festa, a prática de yoga ou durante a gravidez, por exemplo.  

Somos a favor do consumo sustentável em que se compra não numa determinada época do ano em que as pessoas podem ser levadas ao consumo, mas sim porque comprariam as nossas roupas ou bolsas em qualquer época do ano da mesma maneira.

Queremos que os clientes comprem conscientes de que o que vestem reflete também o que pensam, por isso vale à pena comprar pela qualidade, pelo tecido de fibra de bambu ou algodão orgânico e sustentável e pelo trabalho bem feito dos tailandeses. Com a boa produção em detrimento do volume, todo o processo fica mais simples, sem meandros, e, assim, mais justo e consciente.

calca thai modelo

Apesar disso, não se enganem achando que com isso fazemos uma crítica àquelas empresas que participam da Black Friday. De maneira nenhuma. Entendemos que empresas diferentes têm formas de produzir distintas.

Nós produzimos de acordo com os pedidos para, assim, pagarmos os trabalhadores de acordo com as vendas. Por isso não temos um grande estoque, diferente de outras empresas que preferem produzir mais em determinada época do ano e que também precisam liquidar as vendas.

Com tudo isso, queremos continuar buscando e encontrando o equilíbrio entre comércio justo e preço justo, queremos expandir a conscientização sobre como comprar de maneira mais responsável incentivando economias locais sem prejudicar o meio ambiente e poder fazer deste, um mundo melhor para se viver.

Esperamos que vocês tenham uma ótima semana!


Mais looks Calça Thai com fotos inspiradoras dos nossos clientes!

Há pouco tempo, fizemos um post com alguns dos nossos looks favoritos que recebemos de vocês por meio do concurso #MinhaCalçaThai. Além de mostrar essas fotos que adoramos, a ideia era inspirar vocês a montar seus looks usando suas Calças Thai, em diversas ocasiões. No outro post, trouxemos inspiração para serem usadas na praia, no campo, em festivais e em meio a passeios na natureza.

O post anterior fez tanto sucesso que resolvemos fazer mais um, dessa vez com novas ocasiões e diferentes inspirações. Confira aqui mais fotos e mais composições de looks que podem servir de inspiração pra sua próxima saída!

 

Look Montanha

Para aqueles que não curtem muito a praia, ou querem dar uma fugidinha para um lugar pacífico e próximo à natureza, casas de campo ou mesmo pousadas em montanhas são sempre bem vindas. Geralmente, o clima lá em cima é mais fresco, e uma calça de 100% algodão pode aquecer mais e ser uma boa pedida!

Aqui embaixo, ele apostou na coleção masculina Calça Om e complementou com uma camiseta lisa e um casaco. Apesar da camiseta básica, a calça traz muito estilo para essa combinação, combinando até mesmo com o ambiente de paz e tranquilidade ao fundo. Para a foto ficar ainda mais charmosa, o filtro em tons de sépia trouxe um toque de calmaria!

Calça Om

Look Gestante

Aqui na Calça Thai, t-o-d-o m-u-n-d-o tem vez, incluindo as futuras mamães. As gestantes são um dos nossos públicos favoritos, porque é muito gratificante pensar que estamos fazendo parte de um momento tão importante da vida de uma mulher, talvez o mais importante de todos, que é a espera de um filho ou uma filha.

Vários dos nossos produtos são ideias para mulheres grávidas por serem muito ajustáveis, como as coleções Clássica, Pavão, Thai, Flor, Pescador e Pescador 3/4. Nessa foto, a gestante da vez apostou na peça Thai Azul, com elástico na cintura e nos tornozelos. Com pés descalços e pose de yoga em um cenário maravilhoso, o look se completou com um top que valoriza o barrigão. E essa é a grande dica paras as nossas grávidas: mostra esse barrigão para o mundo que é bonito demais de se ver! 

Gestante

Look Noite

Acha que Calça Thai só pode ser usada no dia a dia? Que nada! Quem manda aqui é você. De combinações mais despojadas à combinações mais requintadas, você decide como quer vestir sua peça. E à noite também pode, sim!

Aqui, o look com a Calça Clássica Preta ganhou ainda mais vida com uma blusinha com algumas estampas e muitos acessórios: brinco, relógio, pulseira, anel, e, no pé, uma sapatilha. Esse look só podia ficar completo com uma selfie pré barzinho, não é mesmo?

Noite

 

Look Viagem

Falou em look viagem? Bem que a gente queria cair na estrada e usar esse look todo dia! Um desafio frequente de viajantes é conseguir estar extremamente confortável para passar um dia inteiro andando ou horas e horas dentro de um ônibus ou avião, e ao mesmo tempo não perder o estilo: afinal, viagem é viagem, não dá pra desperdiçar nem um minuto e a gente precisa se sentir muito bem o tempo todo.

Na foto abaixo, na frente de uma linda mesquita em um país que não sabemos qual, nossa cliente viajante apostou na Calça Thai Preta. Para o conforto ser ainda maior, um tênis no pé, e para aguentar frio ou calor, ela usou uma camiseta de manga longa e outra de manga curta por cima. Se esquentar, ela tira a de baixo, amarra na cintura e o passeio continua - mais uma ótima dica para quem está partindo para suas próximas férias.

Viagem

 

Da próxima vez, sua foto também pode aparecer por aqui. Participe da próxima edição do concurso #MinhaCalçaThai. Para saber quando vai acontecer, não deixe de se cadastrar na nossa newsletter clicando aqui


Descubra como escolhemos modelos para fotografar nossas calças

Autenticidade e naturalidade são dois conceitos que prezamos muito aqui na Calça Thai, tanto na personalidade da marca, quanto nos nossos processos internos, o que tem tudo a ver com a maneira como fotografamos nossas peças para mostrar a vocês. Mas antes de falar disso, se essas palavras autenticidade e naturalidade parecem muito vagas, vamos explicar.

Making Off

O conceito autêntico, em termos mais teóricos, diz respeito a algo verdadeiro, exato e que pode ser comprovado por fatos. Quando falamos de personalidade, autenticidade tem a ver com estar seguro de nós: resgatar nossas vontades, desejos e gostos, e estar confortável para ser exatamente quem a gente é. Na Calça Thai, somos autênticos tanto no nosso conceito de negócio, trabalhando próximo às nossas origens e não deixando-as se perderem, quanto no que queremos transmitir a vocês, encorajando todos e a cada um a se vestirem como se sentem bem. 

Já se tratando do termo natural, o que vem à tona é ser nosso estado mais simples, puro e sem rodeios. Ser natural, assim como ser autêntico, tem a ver com expor nosso verdadeiro eu. Aqui dentro da Calça Thai, o natural aparece desde a matéria prima dos nossos produtos, principalmente o algodão, até a comunicação que mantemos com vocês, consumidores, visando ser sempre próximos e humanos.

Em meio a tudo isso, temos as fotos de nossos produtos. Se você acompanha a Calça Thai há um tempo, provavelmente você já deve ter reparado na composição dessas imagens. São fotos geralmente tiradas em ambientes abertos, com verde, madeira e outros elementos da natureza, e o principal: com modelos femininos e masculinos, autênticos e naturais.

Calça Chang BordôCalça Vibe Terra

Para manter essa linha de raciocínio, não trabalhamos com agências de modelos. Buscamos uma imagem muito mais livre e relaxada, sem seguir padrões estéticos. A maioria dos modelos são encontrados por meio de redes sociais, e tentamos escolher aqueles que são mais próximos dos nossos consumidores em termos de estilo e visual. Para os modelos ficarem ainda mais confortáveis, nossa equipe aconselha que eles combinem as Calças Thai com roupas deles mesmo, e assim o look fica mais genuíno, as roupas vestem melhor e o modelo fica mais relaxado. Lembrando que não vendemos todas as roupas das fotos: apenas as Calças!

Vale ressaltar também que fazemos a maioria dos nossos editoriais aqui na Tailândia mesmo. Além de reduzir custos de produção em outro país, essa medida é importante para manter a legitimidade da imagens, principalmente pelo fundo e os ambientes onde as fotos são tiradas. O editorial realizado com a modelo grávida foi especificamente realizado no Brasil, principalmente porque queríamos uma modelo realmente brasileira.

Calça Flor Vermelha

Algumas curiosidades interessantes: além do pagamento da diária dos modelos, geralmente eles também ficam com uma peça utilizada no editorial como um presente da Calça Thai; modelos plus size, ou seja, modelos de tamanhos maiores, são muito difíceis de ser encontradas;  e por fim, modelos com traços asiáticos ou cabelos loiros e pele clara são as mais comuns aqui na Tailândia.

Após as modelos serem fotografadas, é hora de editar as fotos para subir no nosso site. É importante contar que não realizamos nenhum tipo de edição na forma do corpo dos nossos modelo por meio de photoshop. Os únicos tipos de edição que fazemos são cortes, para que as fotos fiquem melhor posicionadas, e em tons, para garantir que as cores das Calças são as mais próximas que a cor da peça ao vivo.

Lendo todo esse texto, é fácil perceber que realmente tentamos manter nossas imagens o mais natural e próximo do real possível, para que vocês entendam de verdade como determinada peça veste em cada tipo de corpo e qual é sua verdadeira tonalidade. Além disso, é muito importante trabalhar com modelos naturais, com tipos de corpo comuns, sem muita produção ou photoshop, e próximos dos nosso dia a dia. Continuar prezando pela autenticidade e naturalidade de tudo o que diz respeito à Calça Thai é uma das nossas prioridades!


Bombacha ou calça tailandesa masculina? Entenda as diferenças!

Enquanto a bombacha é encontrada no sul do Brasil, aqui do outro lado do mundo as calças tailandesas masculinas trazem várias semelhanças. Desde as roupas tradicionais, os tailandeses estão acostumados a utilizar peças largas: ou a calça pescador, ou modelos bem folgados, geralmente com elástico no tornozelo. A bombacha, na mesma linha, também dá o mesmo efeito largo e cheio por ser abotoada na mesma altura.

Feita de brim, tergal, algodão ou linho, a bombacha é uma peça tradicional gaúcha. Seu nome tem origem no termo "bombacho", que em espanhol quer dizer literalmente "calças largas". Desde 1989, a aprovada Lei Estadual da Picha passou a considerar a bombacha como traje oficial gaúcho. Isso quer dizer que o conjunto de vestimentas tradicionais, tanto feminino quanto masculino, pode substituir trajes sociais como vestidos finos e o conjunto terno e gravata. Ou seja, em reuniões formais sediadas no Rio Grande do Sul, as pessoas são permitidas a utilizar suas roupas tradicionais, quando respeitando as recomendações do Movimento Tradicionalista Gaúcho

Roupa Tradicional Gaúcha

 

Seu tecido pode ser tanto liso, quanto xadrez ou listrado. Porém, quando falamos de cores, são sempre tons claros ou escuro: foge-se de cores chocantes ou de muito destaque. Os modelos sofrem alterações conforme a região do estado: na serra, são mais estreitas e não se utiliza faixa na cintura; na fronteira, são largas e apresentam uma faixa de lã, além de adornos laterais chamados de favos de mel; e no Planalto ou nas Missões, também levam esses adornos, mas são mais estreitas na largura.

É interessante também acompanhar a origem da bombacha e como ela chegou até o Brasil: foi dos samurais japoneses, à cavalaria otomana turca, aos beduínos árabes, à invasão na península ibérica, até chegar na América do Sul por meio do Paraguai e Argentina - a estrada foi longa pra que a bombacha seja difundida pelo Rio Grande do Sul!

Diferente das calças tailandesas, que hoje são geralmente utilizadas com tênis, chinelos ou alpargatas, as bombachas tradicionais geralmente utilizada com botas. Hoje em dia, é possível encontrar modelos mais modernos e estilizados, utilizados também com outros sapatos.

Bombacha tradicional

 

Quer ver mais modelos de calças tailandesas, folgadas e cheias de tradição como as bombachas? Confira todas as coleções masculinas da Calça Thai!

Calça Vibe

 


Chang kben: descubra mais um pouco de história nessa calça tradicional tailandesa

Aqui no blog da Calça Thai, sempre falamos sobre tradições tailandesas, principalmente quando o assunto é roupa. Contamos sobre a roupa tradicional tailandesa, exploramos as curiosidades da influência da cultura indiana nas vestimentas tailandesas, e mesmo explicamos as diferenças entre calças indianas e calças originadas na Tailândia. Agora, vamos contar sobre outro modelo de calça muito utilizado entre as tailandesas até o começo do século XX: a Chang kben. 

Chang kben Tradicional

Esse modelo de calça foi muito difundido na Tailândia e também nos seus vizinhos Laos e Camboja, principalmente entre mulheres de classe média e alta. Era uma vestimenta usada no cotidiano, ou seja, era uma roupa de todo dia. No sudeste asiático, ela tem sua origem no Reino do Camboja, tempos anciãos. Era utilizada pelo povo Khmer, que em sua maioria era hinduísta, e especialmente por homens. Porém, ela foi originada mesmo na Índia, e por conta da religião hindu, trazida até o Camboja e difundida por outros países do sudeste da Ásia - Tailândia e Laos, por volta do século XIII.

Chang kben no Camboja

A Chang kben está mais para calça do que saia. É um pedaço de tecido retangular que mede 3 metros de comprimento e 1 metro de altura. Para se usar, é necessário enrolar o tecido em volta da cintura, esticando-o para longo do corpo, depois torcendo as pontas em conjunto e então puxando o tecido por entre as pernas, dobrando-o na parte de trás da cintura. Parece complexo - e realmente é. É sempre difícil para nós, ocidentais, conseguir vestir essas roupas com propriedade e elegância, já que estamos acostumados com calças e saias mais simples, que não exigem tantos procedimentos.

Calça Tradicional Tailandesa

Hoje em dia, a Chang kben ainda é usada em ocasiões de festas tradicionais ou situações formais, onde as pessoas remetem suas vestimentas às utilizadas antigamente, e também por membros da monarquia ou da família real. Mas diferente do que às vezes imaginamos, ao andar pelas ruas aqui da Tailândia, não encontramos pessoas vestidas assim: hoje em dia, o vestuário tailandês é tão globalizado quanto o do Brasil!


Calça Indiana ou Calça Tailandesa? A gente explica!

Muitos anos atrás, o vestuário indiano influenciou o surgimento do modelo de calça envelope, na Tailândia. Esse modelo, que depois foi evoluído até o desenvolvimento das "fisherman pants", ou calça pescador, era formado por um pedaço de tecido retangular que é embrulhado ao redor do corpo e amarrado na cintura com o excesso de tecido. Os homens ajustavam a calça para uma altura mais curta, que facilitava o conforto para trabalhar, enquanto que as mulheres só usavam modelos longos, a fim de cobrir todo o comprimento das pernas - mostrar essa parte do corpo era um sinal de desrespeito. Além disso, muitas vezes os homens trabalhavam sem camisa, enquanto que as mulheres estavam majoritariamente cobertas.

Tecidos e roupas simbolizavam padrões sociais que diferiam ao longo dos reinados de cada monarca tailandês. A pessoas mais ricas usavam tecidos elaborados, altamente decorados, incluindo até mesmo fios de ouro ou de prata. Muitos dos tecidos utilizados em ocasiões especiais, como seda e cetim, eram frequentemente importados da Índia e da China. Enquanto isso, nas classes mais baixas predominava o algodão.

Roupa tailandesa antiga

Apesar desse tipo de vestuário acabar gastando uma maior quantidade de tecido, ele era amplamente utilizado, tanto pelo conforto, quanto pela versatilidade. Esse mesmo tecido com que se fazia as calças também tinha outros usos: proteger-se do frio, repelir mosquitos e outros animais, além de ser utilizado como toalha de banho. 

Enquanto isso, as calças indianas, também conhecidas como harém, também surgiram desse pedaço de pano retangular, que era difundido por diversos países da Ásia. Lá na Índia ele era conhecido como "dhoti", "pancha", "mardani"ou "veshti", e era utilizado majoritariamente por homens.

Calça Dhoti Indiana

Hoje, as calças indianas são amplamente utilizadas no mundo, por pessoas de ambos os sexos. Geralmente são largas, têm o gancho baixo e um elástico inferior na altura do tornozelo. Assemelham-se muito com as calças tailandesas, e muitas vezes fica até mesmo difícil diferenciar as duas, já que as culturas, os cortes e os tecidos já se misturaram bastante.

 


Sabe o que está estampado nas moedas tailandesas? Descubra aqui!

Talvez você já saiba que a moeda utilizada na Tailândia é o Thai Baht. Comparada ao Brasil, com 1 real você compra aproximadamente 10 Baht, sendo que o câmbio varia geralmente ficando entre 8 e 12 Baht. Mas você já procurou saber o que vem estampado nas faces das moedas?

Em um país em que a doutrina religiosa é tão forte, dominada pelo budismo, nada mais justo que homenagear os locais que representam essa cultura, que tangibilizam o espírito de paz aqui da Tailândia e que une os tailandeses: são os Templos.

Cada uma das moedas tailandesas têm um Templo em uma das faces, e todos são temples localizados na cidade de Bangkok.

Na moeda de 1 Baht, que vale quase 1 centavo de Real, vemos o Templo do Buda de Esmeralda. Ele é o Templo mais sagrado da Tailândia, ainda hoje é usado como capela do Rei e é o único onde não residem monges. Fica dentro da Capela Real, ou Wat Phra Kaew, ao lado do Grand Palace, no centro antigo de Bangkok.

Templo do Buda de Esmeralda

Já na de 2 Baht, o Templo estampado é o Golden Mount. Ele fica no Wat Saket e é da Era de Ayutthaya. Subir os degraus do Golden Mount coloca tudo em perspectiva e oferece uma vista linda da Ilha de Rattanakosin. Em novembro, um festival no Wat Saket leva uma procissão com velas até o topo do Golden Mount.  

Golden Mount

O Templo de Mármore fica com os 5 Baht. Ele fica localizado em uma região mais afastada de Bangkok e por isso recebe menos visitas que os outros; porém, por conta da sua estrutura de mármore e vitrais, além de 50 estátuas de Buda no topo, alguns dizem ser um dos templos mais bonitos do país.

Templo de Mármore

 

Por fim, a última e mais alta moeda, a de 10 Baht, o Templo do Amanhecer, ou Templo da Alvorada, conhecido em inglês como "Temple of Dawn". Ele se localiza na beira do principal Rio de Bangkok, o Chao Phraya: ao realizar um passeio de barco pelo rio, a vista do templo todo iluminado à noite é maravilhosa. 

Templo do Amanhecer

Quando vier à Tailândia, não deixe de visitar cada um deles!

*Crédito das imagens: @RatiButr


Zero Baht Shop: conheça uma iniciativa social inspiradora!

Como sempre mostramos para vocês, aqui na Calça Thai prezamos pelo comércio justo, pela justiça nas nossas relações e pela consciência socioambiental. Já contamos sobre lojas online que admiramos, já fizemos parceria com um projeto incrível que fomenta o plantio de árvores no mundo, já até recebemos o selo Site Sustentável, que garante que compensemos toda emissão de gás carbônico do nosso site por meio do plantio de árvores na Mata Atlântica. Diante de tudo isso, sempre ficamos antenados no que tem rolado no mundo em termos de inovação social e responsabilidade ambiental. Durante nossas buscas, encontramos e visitamos um projeto muito bacana localizando em uma região periférica de Bangkok - é a Zero Baht Shop.

Zero Baht Shop

A capital e maior cidade da Tailândia possui mais de 6 milhões de habitantes, quase 10% do total de pessoas que vivem no país asiático. Toda essa gente consumindo produtos e alimentos todos os dias promovem uma quantidade enorme de lixo. Hoje em dia, o lixo é um dos maiores problems que o país enfrenta: muito consumo e pouco descarte realizado corretamente, principalmente do plástico, um dos materiais mais ofensivos ao meio ambiente, já que sua decomposição é extremamente demorada. 

Além disso, com o rápido crescimento econômico do país, o custo de vida tailandês está aumentando a cada ano. Para sobreviver a essa situação, as pessoas usam diferentes estratégias para transformar seu estilo de vida de modo que consigam economizar dinheiro, se adaptar à economia de suficiência, filosofia desenvolvida pelo Rei, e incrementar sua renda. Entretanto, para as classes mais baixas, é difícil lidar com toda a mudança socioeconômica pela qual o país passa. Os que mais sofrem são aqueles nas áreas urbanas mais pobres, como favelas e periferias. Geralmente essas pessoas conseguem suas rendas por atividades rentáveis diárias, ou seja, vender comida nas ruas ou coletando lixo.

Zero Baht Shop

Diante nesse cenário, uma comunidade de Bangkok, localizada no bairro de On-Nut, nos chamou a atenção pelas suas práticas que fazem a diferença na sua situação econômica mais inferior. Essa comunidade se constitui por 20 grupos que se mudaram de diferentes pontes no ano de 2001 por conta de políticas governamentais determinadas por autoridades tailandesas. Tais autoridades prepararam áreas com facilidades básicas, como eletricidade, suprimento de água, ruas pavimentadas e esgoto tratado. Já a parte da construção das casas era papel dos próprios membros da comunidade, que trouxeram materiais e mão de obra para construir suas moradias. 

No início, 155 famílias ocuparam a região. Hoje esse número já supera os 200. Todas essas famílias têm baixa renda mensal e se esforçam diariamente para terem uma melhor qualidade de vida. Tendo em vista essa situação, em 2004, quatro membros representantes da comunidade coletaram fundos e resolveram iniciar um empreendimento que envolveria quase todos os membros e traria uma melhora no seu dia a dia. Foi aí que surgiu a Zero Baht Shop: Baht é a moeda tailandesa, portanto, Zero Baht Shop quer dizer algo semelhante a "loja com zero dinheiro". Mas como assim uma loja que não se usa dinheiro?

A comunidade em On-Nut montou um projeto capaz de dar suporte para bolsas escolares de crianças e adolescentes, assistência médica e despesas para funerais, além de bens de consumo não duráveis básicos, vendidos em um mercadinho. Eles levantam fundos para esses serviços e produtos coletando 1 Baht por dia de cada membro da comunidade - mas isso não é feito por meio do dinheiro, e sim por meio do lixo: o próprio lixo é a moeda de troca.

A lógica é a seguinte: todos os dias, membros da comunidade vão até o estabelecimento da Zero Baht Shop para trazer materiais recicláveis. A loja se responsabiliza por separar esse lixo e fornecer para uma empresa privada de reciclagem. Com o dinheiro da venda do lixo, os responsáveis pela Zero Baht Shop bancam para a comunidade os serviços acima citados, assim como mantém ativo o mercado com produtos básicos. 

Durante as imersões de visitantes externos que vão conhecer o projeto, como nossa equipe realizou, é possível que você converse com as famílias, conheça a loja, receba uma palestra do fundador e mesmo dê uma volta na comunidade para ver como eles recolhem e posteriormente como separam o lixo. Dessa maneira, além de entender a teoria, é possível ter uma experiência prática de como o projeto realmente funciona.

Além de ir ao encontro do problema econômico, a iniciativa também influencia uma questão ambiental e sanitária, amenizando o problema de lixo na região. Outro ponto muito importante é a questão do pertencimento e da confiança em grupo, ou seja, essa iniciativa funciona como um elo de ligação entre membros da comunidade, oferecendo um lugar seguro, saudável e amigável para que essas famílias se desenvolvam e prosperem.

Zero Baht Shop

Hoje eles recebem visitas de pessoas de diversas áreas da Tailândia e mesmo de outras partes do mundo, visando replicar a iniciativa em outras regiões. O resultado visível faz com que os membros acreditem que seus esforços tragam um impacto positivo na sociedade, além de motivá-los a irem sempre além. E claro, servem de inspiração para nós da Calça Thai e para todos que de alguma maneira conhecem esse projeto. 


Gestos e suas simbologias: mais uma curiosidade tailandesa

Ainda que alguns sinais com as mãos e com o corpo sejam universais e compreendidos em qualquer lugar, cada país tem também gestos próprios, intrínsecos na sua cultura, que muitas vezes só os próprios moradores entendem. Esses gestos dizem muito sobre o tipo de sociedade que é constituída em cada país, sobre as noções de respeito, intimidade e hierarquia. Vamos contar um pouquinho mais sobre os gestos que são utilizados pelos tailandeses e isso vai lhe dar uma noção ainda melhor da cultura thai.

Talvez o gesto mais famoso e diferente seja o wai. Já mencionamos esse gestos em posts no Facebook, mas vamos relembrar. Ele é utilizados para cumprimentar, assim como demonstrar gratidão, desculpas e respeito. É necessário juntar as duas mãos ao peito e se curvar. Quanto mais perto do rosto as mãos estiverem, maior é o respeito demonstrado.

Mulher Tailandia Wai

Essa mesma posição das mãos, quando em frente ao colo, é o gesto utilizado durante a meditação profunda, ou samadhi. E o ato de se curvar, sem as mãos, também é utilizado bastante como símbolo de respeito, tanto por estudantes aos seus professores, quanto por qualquer um a alguém que seja mais velho. 

O respeito pelos mais velhos é uma característica forte na Tailândia, um país onde as hierarquias são enormes. Além de se curvar ser um ato realizado com frequência, sentar em uma posição mais alta que uma pessoa com mais idade que você é considerado falta de educação.

Outro símbolo bacana é o de "eu te amo", representado pelo dedão, dedo indicador e o mindinho levantados, com a mão virada para a pessoa com quem você está falando. Esse gesto também é usado na linguagem de sinais, ou Libras. Para dizer que está tudo bem ou que algo deu certo, fazemos como no Brasil, levantando o dedão e fechando os outros dedos, nosso "sinal de jóia".

Gesto - eu te amo

O sinal de V, que aqui utilizamos como paz e amor, lá é usado quando você está torcendo por alguém ou demonstrando apoio. O sinal de OK é feito com um círculo formado pelo dedão e o dedo indicador, e levantando os outros dedos. Esse mesmo gesto é usado por mergulhadores com a mesma finalidade.

Ok sinal - mergulhadores

Quando se trata de gestos incomuns ou indelicados, a diferença em relação ao Brasil é enorme. A Tailândia não é uma sociedade orientada para o toque ou contato. Dessa maneira, tocar outra pessoa, principalmente alguém de quem você não é íntimo, é algo muito grosseiro. É bom destacar o toque na cabeça, que nunca deve ser feito. Abraços e beijos não são saudações comuns, assim como o aperto de mão - a não ser para amigos muito próximos.

Na Tailândia, colocar as mãos nos quadris também é algo muito indelicado pois demonstra impaciência a quem você está se dirigindo. Olhar fixamente é considerado rude, e manter contato visual por muito tempo pode ser intimidador. Apontar para outra pessoa com o dedo também é visto como algo extremamente indelicado.

Também é muito rude utilizar os pés ou pernas para apontar, seja para pessoas, comidas ou imagens do Buda, assim como colocar os pés em mesas ou cadeiras. Sempre se tira o sapato antes de entrar em um ambiente e não se usa os pés para realizar nenhum sinal.

Como podemos ver, muitos gestos utilizados na Tailândia são apenas daquele país, ou típicos da região do sudeste asiático. Antes de ir para qualquer país, é sempre bom descobrir essas particularidades para não dar bola fora ou soar desrespeitoso. E se você não for viajar agora, sempre vale descobrir essas curiosidades culturais!