Blog Calça Thai - Estilo, moda, novidades e notícias do universo Thai

Calça Thai

A reflexologia tailandesa: descubra sua origem e seu poder de cura

Sabemos que os tailandeses são apaixonados por massagem - a massagem tailandesa, por sinal, é uma das mais famosas do mundo. No Brasil, muitas vezes ela é confundida com técnicas diferentes das originais, e já até falamos aqui no blog sobre a desmistificação da massagem thai. Aqui na Tailândia, além da massagem corporal, um tipo de terapia muito praticado é a reflexologia podal: uma terapia ancestral, que começou há mais de 2.000 anos.

Reflexologia Podal Tailandesa

Com influência de técnicas chinesas, japonesas e coreanas, não se sabe exatamente qual foi o local de surgimento da reflexologia thai. Quando o budismo chegou na Tailândia, a massagem já foi aliada a artes de cura, sendo que dentro dos próprios templos era possível encontrar escolas médicas que ensinavam técnicas de massagem para monges e para a população.

Ainda que a reflexologia seja realizada nos pés, ela tem efeito em diversos órgãos internos do corpo humano. A ideia é justamente levar a ação do pé para outras partes do corpo. Ela parte do princípio de que nos pés há um mapa completo do corpo humano, ou seja, são áreas reflexas que, quando ativadas, refletem em todo nosso organismo internamente. De acordo com a acupuntura, há 7.200 terminações nervosas sensoriais em cada um de nossos pés, terminações essas que se comunicam com nossos órgãos.

Reflexologia Podal Tailandesa - pontos

A lógica é que as pressões aplicadas em determinados pontos faz com que glândulas sejam impulsionadas, de modo que o corpo vai encontrando seu equilíbrio. Além da terapeuta utilizar sua própria mão e seus próprios dedos, também faz uso de um bastão de madeira, que nem sempre gera uma sensação muito confortável, mas traz efeitos para um organismo mais sintonizado. 

Reflexologia Podal Tailandesa Bastão

Aliar a massagem tailandesa tradicional à reflexologia podal é uma ótima ideia: cada uma gera efeitos em um componente, trazendo uma complementação holística para o ser humano. Enquanto que a massagem auxilia o equilíbrio da mente e do corpo externo, a reflexologia estimula órgão internos. Ela produz uma sensação única e profunda de relaxamento e bem estar.

Além de relaxamento e equilíbrio, a reflexologia também auxilia a circulação sanguínea saudável. É conhecida como uma terapia que melhora a saúde e a serenidade mental. A tradição diz que cristais de cálcio e ácido úrico que se formam pelo corpo são dispersados. Há também comentários sobre o alívio de estresse, dores crônicas, alergias, alta pressão arterial, disfunções de sono, fibromialgia, artrite, diabetes e problemas digestivos e gastrointestinais.

Aqui na Tailândia, o local mais tradicional para receber e aprender sobre a reflexologia podal tailandesa é no tempo Wat Pho, que conta com uma escola de massagem chamada Wat Pho Thai Traditional Massage School. Se vierem até aqui, não deixem de testar os dois tipos de massagem, a tradicional e a reflexologia, e compartilharem sua experiência com a gente!


Calça Aladim: descubra a origem desse modelo em um conto árabe mágico!

Quem gosta de Calça Thai tem grandes chances de gostar da calça Aladim. Sabe aquele modelo bem largo, com uma faixa na cintura, elástico nos tornozelos e gancho baixo? Para muitas pessoas, essa é a Calça Aladim, e a razão pela qual o modelo leva esse nome é bem simples de se explicar e entender: é a calça utilizada pelo personagem Aladim, no famoso conto árabe Aladim e a Lâmpada Maravilhosa.  

 

Calça Aladim

 

A história de Aladim e sua lâmpada maravilhosa vem de muito tempo. Antes da Disney trazer o romance do Oriente Médio para seus filmes, a narrativa do Aladim era encontrada nos manuscritos de Mil e Uma Noites, no século XVIII. Mesmo antes disso, dizem que quem narrava o romance em sua própria casa era um contador de histórias chamado Hanna Diab. Desde que a obra foi traduzida, ela começou a se espalhar pelo ocidente. Quando a Disney adaptou a história para o desenho animado de longa metragem, em 1992, o romance entre Aladim e Jasmim ganhou repercussão mundial. 

A história se dá em torno do encontro do Aladim com um feiticeiro que possui muitos poderes. Nesse encontro, Aladim pede por uma lâmpada mágica, semelhante àquelas lamparinas de tempos antigos. Sempre que Aladim esfrega a lâmpada, um gênio aparece para realizar seus pedidos, dentre eles casar-se com a princesa, tornar-se príncipe e governar seu reino. O romance conta com diversas armadilhas e provações, diante de um cenário árabe e os vôos no famoso tapete mágico voador. 

 

Lâmpada Mágica

 

Quando foi para as telas de cinema por meio da produtora e distribuidora de Walt Disney, o filme Aladim, em inglês Aladdin, conquistou o público com seu cenário diferente do que estávamos acostumados por conta do tempo - século IX - e do espaço - o Oriente Médio. A trilha sonora também encantadora, e por sinal vencedora de diversos prêmios, mexe com nossos sentidos: a principal canção do filme, "Um Mundo Ideal", em inglês "A Whole New World", até hoje é cantada por crianças e adultos por aí.

Aqui no Brasil, o tipo de calça que os personagens do conto usam para realizar todas suas peripécias são conhecidas como calças Aladim e também misturadas com as calças indianas, tailandesas, harem. Em inglês, calças desse modelo podem ser chamadas de "genie pants", ou seja, calças do gênio. Ficou com vontade de entrar no clima e ter sua própria Calça Aladim? Conheça todos nossas coleções!


Bombacha ou calça tailandesa masculina? Entenda as diferenças!

Enquanto a bombacha é encontrada no sul do Brasil, aqui do outro lado do mundo as calças tailandesas masculinas trazem várias semelhanças. Desde as roupas tradicionais, os tailandeses estão acostumados a utilizar peças largas: ou a calça pescador, ou modelos bem folgados, geralmente com elástico no tornozelo. A bombacha, na mesma linha, também dá o mesmo efeito largo e cheio por ser abotoada na mesma altura.

Feita de brim, tergal, algodão ou linho, a bombacha é uma peça tradicional gaúcha. Seu nome tem origem no termo "bombacho", que em espanhol quer dizer literalmente "calças largas". Desde 1989, a aprovada Lei Estadual da Picha passou a considerar a bombacha como traje oficial gaúcho. Isso quer dizer que o conjunto de vestimentas tradicionais, tanto feminino quanto masculino, pode substituir trajes sociais como vestidos finos e o conjunto terno e gravata. Ou seja, em reuniões formais sediadas no Rio Grande do Sul, as pessoas são permitidas a utilizar suas roupas tradicionais, quando respeitando as recomendações do Movimento Tradicionalista Gaúcho

Roupa Tradicional Gaúcha

 

Seu tecido pode ser tanto liso, quanto xadrez ou listrado. Porém, quando falamos de cores, são sempre tons claros ou escuro: foge-se de cores chocantes ou de muito destaque. Os modelos sofrem alterações conforme a região do estado: na serra, são mais estreitas e não se utiliza faixa na cintura; na fronteira, são largas e apresentam uma faixa de lã, além de adornos laterais chamados de favos de mel; e no Planalto ou nas Missões, também levam esses adornos, mas são mais estreitas na largura.

É interessante também acompanhar a origem da bombacha e como ela chegou até o Brasil: foi dos samurais japoneses, à cavalaria otomana turca, aos beduínos árabes, à invasão na península ibérica, até chegar na América do Sul por meio do Paraguai e Argentina - a estrada foi longa pra que a bombacha seja difundida pelo Rio Grande do Sul!

Diferente das calças tailandesas, que hoje são geralmente utilizadas com tênis, chinelos ou alpargatas, as bombachas tradicionais geralmente utilizada com botas. Hoje em dia, é possível encontrar modelos mais modernos e estilizados, utilizados também com outros sapatos.

Bombacha tradicional

 

Quer ver mais modelos de calças tailandesas, folgadas e cheias de tradição como as bombachas? Confira todas as coleções masculinas da Calça Thai!

Calça Vibe

 


Chang kben: descubra mais um pouco de história nessa calça tradicional tailandesa

Aqui no blog da Calça Thai, sempre falamos sobre tradições tailandesas, principalmente quando o assunto é roupa. Contamos sobre a roupa tradicional tailandesa, exploramos as curiosidades da influência da cultura indiana nas vestimentas tailandesas, e mesmo explicamos as diferenças entre calças indianas e calças originadas na Tailândia. Agora, vamos contar sobre outro modelo de calça muito utilizado entre as tailandesas até o começo do século XX: a Chang kben. 

Chang kben Tradicional

Esse modelo de calça foi muito difundido na Tailândia e também nos seus vizinhos Laos e Camboja, principalmente entre mulheres de classe média e alta. Era uma vestimenta usada no cotidiano, ou seja, era uma roupa de todo dia. No sudeste asiático, ela tem sua origem no Reino do Camboja, tempos anciãos. Era utilizada pelo povo Khmer, que em sua maioria era hinduísta, e especialmente por homens. Porém, ela foi originada mesmo na Índia, e por conta da religião hindu, trazida até o Camboja e difundida por outros países do sudeste da Ásia - Tailândia e Laos, por volta do século XIII.

Chang kben no Camboja

A Chang kben está mais para calça do que saia. É um pedaço de tecido retangular que mede 3 metros de comprimento e 1 metro de altura. Para se usar, é necessário enrolar o tecido em volta da cintura, esticando-o para longo do corpo, depois torcendo as pontas em conjunto e então puxando o tecido por entre as pernas, dobrando-o na parte de trás da cintura. Parece complexo - e realmente é. É sempre difícil para nós, ocidentais, conseguir vestir essas roupas com propriedade e elegância, já que estamos acostumados com calças e saias mais simples, que não exigem tantos procedimentos.

Calça Tradicional Tailandesa

Hoje em dia, a Chang kben ainda é usada em ocasiões de festas tradicionais ou situações formais, onde as pessoas remetem suas vestimentas às utilizadas antigamente, e também por membros da monarquia ou da família real. Mas diferente do que às vezes imaginamos, ao andar pelas ruas aqui da Tailândia, não encontramos pessoas vestidas assim: hoje em dia, o vestuário tailandês é tão globalizado quanto o do Brasil!


Como pendurar e guardar peças de rayon e manter um aroma agradável?

Há pouco tempo escrevemos um post sobre como passar as peças feitas de rayon. Trouxemos dicas e procedimentos para evitar vincos e marcas nas calças feitas a partir desse material. Ainda que muito resistente, o rayon é um material mais fino e delicado, por isso os cuidados para que suas peças durem ainda mais não param por aí. Agora, confira algumas dicas sobre como pendurar e guardar suas roupas: 

Calça Pavão Púrpura Rayon

 

  • Tenha certeza que a peça de rayon esteja completamente seca antes de guardá-la. Se você dobrar sua peça ainda úmida, pode aparecer algum mofo e a peça pode desenvolver um cheio azedo ou de mofo.
  • Sempre pendure sua calça feita de rayon em um cabide resistente e que não seja escorregadio. Quando pendurado corretamente, o rayon dificilmente vai formar vincos. Essas calças devem ser penduradas na vertical pra evitar que elas enruguem.
  • Se você for dobrar sua calça, tente dobrá-la seguindo o sentido da costura da peça. Lembre-se também de não colocar outras peças em cima da calça. Isso previne que a calça crie vincos por conta da pressão de uma peça sobre outra.
  • Se você preferir encobrir a peça quando ela estiver dentro do guarda roupa, certifique-se que seja uma capa limpa e incolor, ou então compre uma capa própria para encobrir o material rayon.

Além dessas dicas de como passar, pendurar e guardar peças feitas de rayon, temos também dicas para que sua Calça Thai sempre tenha um aroma agradável. Vale lembra que essas dicas servem pra diversas roupas e não apenas para as Calças Thai!

  • Coloque sachês perfumados e panos secos dentro do seu guarda roupa e de suas gavetas. É possível trazer um cheiro de frescor para seu guarda roupa utilizando sachês de suas ervas, flores e aromas favoritos. Você pode usar sachês comprados em lojas ou fazer o seu próprio sachê perfumado em casa, enchendo saquinhos de pano com ervas desidratadas e fechando com um cordão. Coloque os sachês tanto nas gavetas, quanto pendurados em cabides.
Sachê perfumado
 
  • Você também pode utilizar óleos essenciais ou perfumes. Adicione entre 2 e 5 gotas do seu óleo ou perfume favorito em um pedaço de pano, em um papel toalha ou mesmo em bolinhas de algodão. Coloque esse material perfumado nas gavetas e em outras divisórias. Você também pode pingar algumas gotas de óleo essencial nas paredes do guarda roupa ou das gavetas. Certifique-se de que o óleo esteja seco antes de guardar suas roupas.
  • Outra opção é tentar utilizar velas e sabonetes perfumados como purificadores. É só colocar dentro do guarda roupa uma vela apagada ou uma barra de sabão embrulhada em tecido que o aroma vai se difundir.  
  • Além disso, mais uma possibilidade é fazer uso de uma madeira já perfumada organicamente como purificador natural. Cedro e sândalo são boas opções, mas se preferir você pode optar por outro tipo de madeira com cheiro intenso e agradável. Colocando um ou dois pedaços da madeira no seu guarda roupa, aquele cheiro vai se espalhar. O cedro é famoso por afastar mosquitos e também por absorver a umidade, que por sinal é um dos principais fatores responsáveis pelo cheiro de mofo nas suas roupas. 
Faça bom uso de todas essas dicas e mantenha suas roupas limpinhas e cheirosas por muito mais tempo!

Como combater o estresse com Tai Chi, a meditação em movimento

Você já ouviu falar de Tai Chi? Ou às vezes chamado de Tai Chi Chuan? Para alguns, o Tai Chi é conhecido como a yoga chinesa, e é talvez a arte marcial mais conhecida da China anciã. Ele tem suas bases no Qigong, um conjunto de técnicas e alongamentos que visam auxiliar o movimento da energia vital que já flui através de todas as coisas do universo, e algumas técnicas das artes marciais chinesas de milhares de anos atrás. Foi desenvolvido por volta de 1670 e é caracterizado por contrastar e complementar movimentos lentos e leves com outros mais bruscos e pesados.

Apesar no nome levar "tai", a origem dessa arte marcial não tem relação com a Tailândia. Na verdade, o termo "tai chi" apareceu no Livro das Mudanças, mais de 3000 anos atrás, dizendo que "em todas as mudanças existe o tai chi, que causa os dois opostos de tudo". Esse termo é também utilizado pra representar a vastidão do universo.

Tai Chi

Os textos tradicionais escritos por mestres de Tai Chi nos orientam a três práticas: vencer o movimento por meio da quietude, vencer a dureza por meio da suavidade, e vencer o rápido por meio do lento. Ou seja, utilizar ideias opostas e complementares para levar uma vida de equilíbrio. Seus movimentos foram baseados na observação da natureza: não apenas em plantas, fenômenos e animais, mas principalmente em como todos esses elementos que nos cercam interagem entre si. 

O primeiro estilo desenvolvido no Tai Chi é chamado Chen, e a partir desse, outros 3 se desenvolveram: Wu, Hao e Sun. Todos eles têm princípios essenciais parecidos, mas contém posições e características particulares. Já estilo mais popular é o Yang, com movimentos mais gentis, delicados e lentos, que é mais fácil de ser aprendido e também promove uma vida saudável. Além desses, hoje há diversos outros estilos originados dos primeiros, adaptados por todo o planeta.

Desde o século 19, os chineses compreenderam o quanto a prática de Tai Chi traz benefícios para o ser humano e sua popularidade tem crescido a cada ano: pesquisas dizem que mais de 300 milhões de pessoas o praticam. Além de trazer a tranquilidade e a paz de espírito de uma meditação, ele também é recomendado em termos de saúde, já que seus movimentos promovem a elasticidade e força corporal. 

Essa meditação em movimento é amplamente aconselhada para aqueles que vivem em grandes cidades e sofre o estresse da rotina. O Tai Chi pode ser um caminho para uma vida mais saudável, em paz e em equilíbrio. Aqui na Calça Thai, nossa Calça Pescador é ideal para essa prática!

Calça Pescador Bordô

 


Calça Indiana ou Calça Tailandesa? A gente explica!

Muitos anos atrás, o vestuário indiano influenciou o surgimento do modelo de calça envelope, na Tailândia. Esse modelo, que depois foi evoluído até o desenvolvimento das "fisherman pants", ou calça pescador, era formado por um pedaço de tecido retangular que é embrulhado ao redor do corpo e amarrado na cintura com o excesso de tecido. Os homens ajustavam a calça para uma altura mais curta, que facilitava o conforto para trabalhar, enquanto que as mulheres só usavam modelos longos, a fim de cobrir todo o comprimento das pernas - mostrar essa parte do corpo era um sinal de desrespeito. Além disso, muitas vezes os homens trabalhavam sem camisa, enquanto que as mulheres estavam majoritariamente cobertas.

Tecidos e roupas simbolizavam padrões sociais que diferiam ao longo dos reinados de cada monarca tailandês. A pessoas mais ricas usavam tecidos elaborados, altamente decorados, incluindo até mesmo fios de ouro ou de prata. Muitos dos tecidos utilizados em ocasiões especiais, como seda e cetim, eram frequentemente importados da Índia e da China. Enquanto isso, nas classes mais baixas predominava o algodão.

Roupa tailandesa antiga

Apesar desse tipo de vestuário acabar gastando uma maior quantidade de tecido, ele era amplamente utilizado, tanto pelo conforto, quanto pela versatilidade. Esse mesmo tecido com que se fazia as calças também tinha outros usos: proteger-se do frio, repelir mosquitos e outros animais, além de ser utilizado como toalha de banho. 

Enquanto isso, as calças indianas, também conhecidas como harém, também surgiram desse pedaço de pano retangular, que era difundido por diversos países da Ásia. Lá na Índia ele era conhecido como "dhoti", "pancha", "mardani"ou "veshti", e era utilizado majoritariamente por homens.

Calça Dhoti Indiana

Hoje, as calças indianas são amplamente utilizadas no mundo, por pessoas de ambos os sexos. Geralmente são largas, têm o gancho baixo e um elástico inferior na altura do tornozelo. Assemelham-se muito com as calças tailandesas, e muitas vezes fica até mesmo difícil diferenciar as duas, já que as culturas, os cortes e os tecidos já se misturaram bastante.

 


Guia dos melhores festivais alternativos do Brasil em 2017

29 Janeiro 2017
0 Comentários

Escrito por Calça Thai

Aqui na Calça Thai fazemos calças mas também somos amantes da Tailândia e da cultura tailandesa.

Guia dos melhores festivais alternativos do Brasil em 2017

Ir a um festival é quase como entrar em um mundo novo. A gente se transforma junto com a energia intensa que essas festas emanam. A gente se une a pessoas que nunca antes tínhamos visto, e formamos um todo. Sabemos que várias pessoas usam suas Calças Thai em festivais, por isso preparamos um guia pra te ajudar a decidir qual será seu próximo!  Ainda não sabe para onde ir esse ano? Confira nosso Guia de Festivais e escolha o que mais combina com você.

 

Festival Internacional de Cultura Alternativa (FICA)

 

FICA

"O FICA pretende ser um modelo de convivência pacífica e harmônica entre todas as pessoas interessadas na cultura alternativa, ambiental, artística, por meio de oficinas, palestras, vivências e apresentações culturais focando uma visão ecológica espiritualizada."

O FICA acontece geralmente no mês de julho mas esse ano ainda não tem data definida. Ele é realizado na Flor de Ouro, em Alta Paraíso, Goiás - plena Chapada dos Veadeiros. É regado a música popular brasileira alternativa, de reggae a rock rural. A inscrição para o FICA já inclui acomodação em camping ou chalé, e o valor varia de acordo com a data que você chegar. Os combos de inscrição + alimentação variam entre R$150,00 e R$1.500,00 de acordo com o tipo de alimentação e hospedagem. Crianças também são bem vindas e pagam meia. 

 

Universo Paralello

 

Universo Paralelo

O nome já diz tudo: um outro universo. Esse é um famoso festival de trance localizado em uma praia paradisíaca: são 2km de praia reservados para esse tributo à música eletrônica.  Além desse tipo de som, uma parte do festival também é dedicada à música chill out, reggae e world music, além de apresentações artísticas e oficinas diversas. As experiências são diversas e é preciso chegar de mente aberta para interagir com diversos tipos de gente, arte e cultura.

É o sonho de quase todo fã de festival aqui no Brasil e acontece entre dezembro e janeiro, contemplando a virada de ano, na Bahia, Praia de Pratigi. Esse ano, em sua décima quarta edição, o festival vai acontecer entre os dias 27 de dezembro e 3 de janeiro. Os primeiros lotes de ingressos promocionais já se esgotaram e estavam custando R$ 530,00 - para quem for comprar daqui pra frente, pode saber que esse preço vai subir. Para acompanhar todas as novidades, siga a página do evento no Facebook.

 

Pulsar Festival 

 

Pulsar

"Serão cinco dias de vivências e oficinas de permacultura e artes somadas a uma experiência audiovisual única. O line up, como sempre, é comandado por alguns dos principais artistas da vanguarda psicodélica mundial e a decoração poderia facilmente ter sido importada de outras galáxias."

Esse ano o Pulsar Festival rola em junho, entre os dias 14 e 19, em Cachoeira Alta, na acolhedora cidade de Ipoema, Minas Gerais. O line up conta com diversos DJs brasileiros e internacionais - chileno, sueco, inglês, grego e até mesmo indiano. O primeiro lote custa R$ 320,00 individual, e R$ 580,00 duplo. O duplo só pode ser comprado pelo website do evento e a entrada de menores de idade não é permitida. No Facebook, você encontra todos os detalhes, além de excursões saindo de diversos cantos do Brasil 

 

Kundalini Festival

 

Kudalini

"A edição de 2017 Shiva/Shakti Kundalini tem em suas raízes a intenção de trazer a todos a força da transformação alinhada a energia primordial da criação.
Sejam todos bem-vindos a mais uma etapa do despertar planetário!"

Com muita cultura psicodélica, o Kundalini acontece em São José dos Ausentes, Rio Grande do Sul, de 8 a 13 de fevereiro. Crianças são bem vindas e há até mesmo espaços especiais para os pequenos. O terceiro lote custa R$ 300,00 e será vendido até a data do evento. A música varia entre a eletrônica psicodélica e um estilo mais tranquilo, o chill out. Na página do evento, você confere todos os DJs confirmados, além de excursões e outros detalhes.

 

Trance in Moon

 

Trance in Moon

A descrição do evento é misteriosa: "A Trance in Moon é uma corrente que se iniciou com amigos em um grupo secreto, e que em sua primeira edição foi considerado o festival revelação de 2013 por votação totalmente voluntária através da pesquisa feita pela Trancers Brasil." Mais um festival de trance, dessa vez em São José da Bela Vista, próximo a São Paulo.

O Trance in Moon 2017 rola em abril, no feriado da Páscoa, de 13 a 16. O primeiro lote custa R$ 120,00, e o segundo, R$ 140,00. O valor não inclui acomodação; para isso, é necessário acessar o Facebook e conferir os alojamentos disponíveis. Na página do evento, 6 mil pessoas já estão confirmadas. Para garantir sua entrada, também é obrigado levar 1kg de alimento não perecível. 

 

Festival Mundo de Oz

Mundo de Oz

 

"O Mundo De Oz é um evento multicultural com atividades artísticas, artesanais, musicais, ecológicas, circenses, cênicas e educativas que leva seu público a explorar os conceitos de uma comunidade alternativa, que busca paz, amor, união e respeito através da música. Temos como nossa missão criar um lugar onde todas as pessoas sejam iguais, onde não se repara em roupas de marca ou em quanto você tem no bolso, um lugar onde o ser humano é valorizado como deve ser."

Em abril, na Fazenda Bom Jardim, em Aparecida, SP, entre os dias 20 e 23, rola a oitava edição do festival. Os lotes custam entre R$ 150,00 e R$ 320,00. Fichas de consumação também serão vendidas pelo site do evento. Rola muita música eletrônica psicodélica, além de oficinas. No Facebook, 9 mil pessoas estão confirmadas, e outras 26 mil se dizem interessadas. No site, é possível encontrar também o "Guia Oz", com todas as informações úteis sobre esse festival. 

 

Festival Forró da Lua Cheia

 

Forró da Lua Cheia

"Há 25 anos, o Festival Forró da Lua Cheia vem proporcionando edições memoráveis, com shows do gabarito de Renato Teixeira, Morais Moreira, Beto Guedes, Lenine" e por aí vai!

Regado a música popular brasileira, Forró da Lua Cheia rola dentro do hotel fazenda Vale das Grutas, em Altinópolis, SP. Esse ano acontece em maio, entre os dias 5 e 7, e contará com shows de Gabriel O Pensador, Falamansa, IRA!, entre outros. Ainda não liberaram muitas informações, mas em breve a página do evento será atualizada. Por lá, 5 mil pessoas já estão confirmadas, e 11 mil interessadas. O primeiro lote já está à venda, e custa R$ 220,00, dando acesso aos 3 dias de festival, e incluindo área para camping. 

 

Celebração de Dharma do Sudeste

 

Celebração Dharma do Sudeste

"Todos são bem-vindos à primeira Celebração de Dharma do Sudeste da NKT-IKBU 2017. No ambiente inspirador do Templo pela Paz Mundial, a Celebração de Dharma do Sudeste é uma bela oportunidade para vivenciar os ensinamentos de Buda e compartilhar momentos significativos com amigos espirituais. Uma pausa na agitação do dia-a-dia e uma imersão na prática espiritual. Tempo de meditar, refletir e desfrutar de profunda paz interior."

Acontece em Cabreúva, SP, no feriado de Carnaval, de 24 de fevereiro a 3 de março. Diferente dos outros festivais, esse funciona mais como um retiro de meditação e iniciação à doutrina budista. A ideia é aprender práticas que ajudam as pessoas a se fortalecerem internamente. Você não precisa ser experiente para se inscrever - iniciantes no budismo também são bem vindos. Para se hospedar, você pode escolher camping, chalé ou hotel, e crianças também são bem vindas. O pacote completo de abertura, iniciação, ensinamentos e retiro custa R$ 530, e acomodação e alimentação são pagos à parte. Você também pode optar por adquirir apenas partes dos dias. 

 

Gostou? Não esquece de comprar uma Calça Thai para seu próximo festival! 


Roupa confortável durante e após a gravidez: conheça as peças da Calça Thai

A gravidez é um marco na vida de qualquer mulher, talvez o maior marco pelo qual a maioria das mulheres passa. O cuidado com as roupas conforme o barrigão cresce é tão importante quanto o cuidado depois que o bebê nasce. Reconhecemos a importância de se estar o mais confortável possível, se sentindo bem com o corpo e utilizando roupas que ajudam nesse processo intenso e maravilhoso. Aqui na Calça Thai, já contamos que algumas de nossas peças são ideais para mulheres grávidas e principalmente para o pós gravidez, ou seja, o período de amamentação e adaptação a uma nova rotina e a um corpo transformado, que se altera novamente assim que o bebê vem ao mundo. 

Calça Pavão Púrpura

O pós gravidez é uma fase em que as roupas precisam ser leves e macias; precisam facilitar a amamentação diária e também ser ajustáveis, já que o corpo passa por diversas transformações - desde o início da gravidez, até os primeiros meses de vida do bebê.

Algumas coleções da Calça Thai podem te ajudar a passar por essa fase com mais tranquilidade: são as coleções Thai, PavãoPescadorFlorClássica e Pescador 3/4

 

 

Uma das vantagens das coleções Clássica, Thai, Flor e Pavão é a possibilidade de se usar a Calça Thai como macacão. Dessa maneira, as mulheres não apenas evitam apertar a região da barriga com o elástico, como facilitam o momento da amamentação, uma vez que é muito fácil e prático abaixar o macacão para amamentar, e depois voltar para a altura normal.

 
Calça Flor Vermelha Macacão

 

Além disso, o material macio e a ausência de zíperes ou botões evitam que a roupa cause incômodo por conta da cicatriz na barriga, no caso de uma cesariana. 

Outra grande vantagem dessa coleções, mas principalmente dos modelos envelope - as calças Pescador e Pescador 3/4, é a facilidade de ajuste ao corpo, tanto durante a gravidez, quanto após dar à luz, porque essa calças podem ser alargadas ou ajustadas de acordo com a form do seu corpo. Esse modelo não possui elástico ou botões: todo o ajuste é feito por meio de faixas na própria calça, podendo deixar sua calça mais alta ou mai baixa, mais justa ou mais folgada.

Durante e após a gravidez, é importante colocar seu conforto e o conforto do seu bebê em primeiro lugar, tanto levando uma vida saudável, se preocupando com sua mente e seu corpo, quanto vestindo roupas que fazem com que você se sinta bem!


Sabe o que está estampado nas moedas tailandesas? Descubra aqui!

Talvez você já saiba que a moeda utilizada na Tailândia é o Thai Baht. Comparada ao Brasil, com 1 real você compra aproximadamente 10 Baht, sendo que o câmbio varia geralmente ficando entre 8 e 12 Baht. Mas você já procurou saber o que vem estampado nas faces das moedas?

Em um país em que a doutrina religiosa é tão forte, dominada pelo budismo, nada mais justo que homenagear os locais que representam essa cultura, que tangibilizam o espírito de paz aqui da Tailândia e que une os tailandeses: são os Templos.

Cada uma das moedas tailandesas têm um Templo em uma das faces, e todos são temples localizados na cidade de Bangkok.

Na moeda de 1 Baht, que vale quase 1 centavo de Real, vemos o Templo do Buda de Esmeralda. Ele é o Templo mais sagrado da Tailândia, ainda hoje é usado como capela do Rei e é o único onde não residem monges. Fica dentro da Capela Real, ou Wat Phra Kaew, ao lado do Grand Palace, no centro antigo de Bangkok.

Templo do Buda de Esmeralda

Já na de 2 Baht, o Templo estampado é o Golden Mount. Ele fica no Wat Saket e é da Era de Ayutthaya. Subir os degraus do Golden Mount coloca tudo em perspectiva e oferece uma vista linda da Ilha de Rattanakosin. Em novembro, um festival no Wat Saket leva uma procissão com velas até o topo do Golden Mount.  

Golden Mount

O Templo de Mármore fica com os 5 Baht. Ele fica localizado em uma região mais afastada de Bangkok e por isso recebe menos visitas que os outros; porém, por conta da sua estrutura de mármore e vitrais, além de 50 estátuas de Buda no topo, alguns dizem ser um dos templos mais bonitos do país.

Templo de Mármore

 

Por fim, a última e mais alta moeda, a de 10 Baht, o Templo do Amanhecer, ou Templo da Alvorada, conhecido em inglês como "Temple of Dawn". Ele se localiza na beira do principal Rio de Bangkok, o Chao Phraya: ao realizar um passeio de barco pelo rio, a vista do templo todo iluminado à noite é maravilhosa. 

Templo do Amanhecer

Quando vier à Tailândia, não deixe de visitar cada um deles!

*Crédito das imagens: @RatiButr