Blog Calça Thai - Estilo, moda, novidades e notícias do universo Thai

Calça Thai

Você sabe diferenciar a Calça Saruel da Calça Thai?

Se você nos acompanha aqui há algum tempo, deve lembrar que nós já contamos brevemente (em um outro post do Blog) sobre as diferenças entre a Calça Thai, a Calça Harem e a Calça Saruel. Como as particularidades entre esses estilos podem ser sutis, neste post nós vamos nos aprofundar ainda mais na história da calça Saruel, falando sobre sua origem e características.

Ao te perguntarmos o que sabe sobre a Saruel, provavelmente você se lembrará de calças largas. E basicamente é isso mesmo! A palavra ‘Saruel’ tem origem árabe e seu significado é ‘algo que cobre a cintura’. Tipicamente, a calça Saruel era feita de percal (tecido fino de algodão com a trama muito fechada) e acredita-se que ela tenha vindo da Pérsia (inspirada nos modelos indianos), por volta do século VI, logo sendo adotada por muitas comunidades árabes; tanto por homens quanto por mulheres, no Norte da África e na Península Arábica em países predominantemente muçulmanos.

O modelo clássico contava com um cordão de couro no cós e poderia ser amarrado na cintura ou no quadril. Além disso, seu comprimento nunca passava dos joelhos, e sua forma era de um retângulo simples, cortado a partir de três ou quatro pedaços de tecido, sendo a parte central mais ampla. Quanto mais larga essa parte da calça, mais tecido era necessário em sua confecção e o preço da peça se elevava. Essa característica era importante não apenas do ponto de vista estético, mas também funcional, já que se tratava de uma vestimenta prática para a realização de algumas tarefas, como a montaria de camelos e cavalos. Calças com corte reto ao corpo não funcionariam da mesma forma. A Saruel ainda podia ser usada sob vestidos, túnicas e um tipo tradicional de roupão esvoaçante (todos com o comprimento até os tornozelos).

Variedade de estilos de Saruel que surgiu no período medieval

No período medieval, uma grande variedade de estilos de Saruel passou a existir, considerando seu comprimento (tornozelos, panturrilhas ou joelhos), seu corte (mais largo ou próximo ao corpo) e o gancho (mais alto ou baixo). Seu estilo podia variar regionalmente, mas a calça Saruel sempre era caracterizada por ser solta e ampla, sobretudo nos quadris. Cada tipo de Saruel tinha um nome diferente e um grupo de pessoas que adotavam o estilo. Homens e mulheres usavam essa calça independente do momento e da região onde viviam (fosse urbana ou rural). Tradição essa que continua até hoje em muitos países islâmicos.

A Calça Saruel no Ocidente
Procurando pela internet, é comum encontrar um equívoco: que a palavra ‘Saruel’ deriva do francês (Sarouel). E essa confusão tem uma explicação! No século 19, militares franceses em expedição pelo Norte da África (Marrocos, Argélia e Tunísia) tiveram que adotar a vestimenta para resistirem às altas temperaturas do deserto. Por serem feitas com tecidos naturais (leves e respiráveis), com corte largo, as calças Saruel se tornaram item essencial na missão. Ao retornarem para a França, eles levaram as peças consigo e introduziram o modelo ao ocidente de forma despretensiosa.

Desde então, passou a existir uma ampla variedade de estilos desse modelo que continua evoluindo e influenciando a moda ocidental para homens e mulheres. No entanto, se buscar rapidamente por imagens na internet, você verá que é mais fácil encontrar calças Saruel que contam com o corte reto (mais justo nas pernas) e o gancho baixo, com maior volume nos quadris.

Militares franceses introduziram a Calça Saruel ao ocidente de forma despretensiosa

Hoje em Dia
Hoje as calças Saruel são mais frequentemente usadas pelos homens e podem ser longas, chegando até o chão, ou curtas, atingindo um pouco abaixo do joelho. Entretanto, há um estilo de Saruel que continua a ser muito usado em toda a África do Norte (do Marrocos ao Egito), e que passou por algumas adaptações. O cós, que antes era tradicionalmente preso por um cinto ou cordão, agora tem pregas frontais e traseiras e uma faixa de cintura com cerca de três a quatro dedos de largura. O que não mudou é a parte central ampla e o gancho baixo.

O comprimento ainda varia, mas os estilos mais comumente usados são os que vão até o meio da panturrilha, e logo abaixo do joelho. A calça Saruel ainda pode ser bordada, acompanhando os detalhes da túnica ou manto que faz composição com a peça. Nos países do Golfo Pérsico também há um estilo de calça chamado Saruel que se assemelha às largas calças masculinas de pijama e geralmente vão até o tornozelo. Elas contam com cordões largos ou elásticos para prender na cintura.

Para muitos brasileiros, a calça Saruel tem tecido mais encorpado, como o moletom. No Brasil, esse modelo surgiu na década de 90 e foi uma das calças mais usadas entre os jovens na época. Depois desse boom, ela voltou a ser popular em 2009 e mais recentemente em 2015.


Desvende a Origem e o Significado da Mandala

Representações de mandalas estão presentes em alguns de nossos produtos, inclusive emprestando seu nome para uma de nossas coleções masculinas. E isso não é por acaso.

Composta por formas geométricas que tem em comum o mesmo centro, a mandala tem um significado tão complexo quanto seu desenho e, neste post, nós compartilhamos com você alguns fatos e curiosidades sobre sua criação e conceito.

A mandala tem um significado tão complexo quanto seu desenho


Significado religioso
A palavra mandala vem do sânscrito e tem como definição “círculo" ou "objeto em forma de disco". Apesar de ser uma língua morta, o sânscrito tem importante uso litúrgico em religiões asiáticas. Em diversas crenças, como no budismo, hinduísmo e jainismo, a mandala é vista como objeto ritualístico.

Especificamente no budismo, em que se acredita que a mandala teve origem, os devotos usavam seu desenho como forma de mentalizar a divindade. Desse modo, os budistas entendiam que a verdade sobre o universo era assim revelada para eles e a mandala representaria artisticamente o ser humano e o universo; um símbolo da existência interior e sua relação com o mundo ao redor.

Falando um pouco mais sobre o seu desenho, em sua forma mais básica, o design da mandala é simétrico e equilibrado, apresentando um quadrado (contido em um círculo) com quatro portais. Cada um deles tem o formato de um "T". Ainda existem alguns desenhos que podem inclusive trazer uma representação de Buda em seu centro.

Monges que se dedicam a criação de mandalas por meio de areias coloridas

Também existem monges que se dedicam a criação de mandalas por meio de areias coloridas. Esse trabalho pode levar dias, dependendo da complexidade do desenho e da riqueza dos detalhes. Além da régua, necessária para garantir a simetria de cada pedacinho da mandala, os monges também usam um funil metálico e uma varinha para ‘colorir’ o desenho. Em contato, a varinha provoca suaves vibrações no funil que despeja aos poucos a areia nele contida. Os budistas acreditam que esse ritual gera energia positiva no ambiente e agracia as pessoas que podem assistir à mandala sendo desenhada. Essa forma de arte e contemplação teria sido inventada pelo próprio Buda e cada parte do desenho representaria suas lições.

Seu papel na meditação
Assim como em sua origem, a mandala é usada até hoje no budismo, no hinduísmo, no tantrismo e na yoga como ponto focal para meditação. Sua constituição com formas geométricas concêntricas e a complexidade do design ajudam os praticantes na contemplação, e na busca pela calma e exploração interior.

Os budistas acreditam que a mandala é a representação do nirvana por inspirar paz interior e iluminação. Quem medita mentalizando ou se concentrando nesse símbolo relata ter alcançado a serenidade e a clareza.

Além da crença
Ao ser introduzida no mundo ocidental, a mandala assumiu outros papéis. Para a psicanálise (segundo a teoria Junguiana), a mandala seria o círculo mágico que representa simbolicamente a luta pela unidade total do eu. Esse conceito teria surgido no início do século XX com Carl Jung, psiquiatra suíço responsável por fundar a psicologia analítica, que estuda a importância da psique individual e sua busca pela completude. Acredita-se que a cada manhã, Jung colocava seus pensamentos no papel desenhando figuras circulares e estimulava seus pacientes a fazerem o mesmo.

Camisa Mandala 

A mandala hoje em dia
Por ser tão completo e perfeito, cada vez mais vemos referências a esse símbolo em nosso dia a dia. Seja em elementos de decoração, arquitetura, artes ou moda, a mandala se faz presente inspirando, mesmo sem percebermos, a busca pela paz interior.

Se você gostou de todo o significado que a mandala traz para a nossa rotina, não deixe de conferir os produtos que têm esse poderoso símbolo em suas estampas: Calça Flor, Calça Flor Plus Size e Camisa Mandala!


4 formas de contornar a Cobrança de Despacho Postal

Como já te contamos aqui no Blog, desde 27 de agosto deste ano, os Correios deram início à Cobrança de Despacho Postal, no valor de R$ 15, para a entrega de encomendas internacionais. Com isso, nossos Clientes brasileiros passaram a ter que fazer a quitação desse valor para receberem seus produtos Calça Thai.

Por sabermos que essa questão é inconveniente para alguns Clientes, vamos te contar neste post quatro formas alternativas para que você faça a sua compra com a gente minimizando – ou até mesmo evitando – o pagamento da taxa. Confira.

1. Compre a granel
Ao comprar mais de 5 peças de uma só vez, no mesmo pedido, você tem direito a usar o código ‘ATACADO10’ e ganhar 10% de desconto no valor final da compra. Vale ressaltar que o pagamento precisa ser feito por boleto, transferência bancária online ou Paypal, já que o pagamento por cartão de crédito não é aceito nessa promoção.

Então, nossa sugestão é que você reúna os pedidos da sua família e amigos e faça uma compra única aproveitando o desconto.

2. Compre itens de uma mesma localidade na Tailândia
Por contarmos com diferentes artesãos, localizados em diferentes partes da Tailândia, o seu pedido pode ser produzido (e enviado) separadamente. Como a Cobrança de Despacho Postal é aplicada individualmente para cada embalagem que chega do exterior, independentemente do tamanho, peso ou valor, ao optar por produtos de uma mesma região, seu pedido será agrupado e enviado. Assim você pagará a taxa de R$ 15 aos Correios uma única vez.

Para que você saiba onde cada produto Calça Thai está armazenado, criamos a tabela abaixo:

Saiba onde cada produto Calça Thai está armazenado

Importante ressaltar que sempre que possível iremos agrupar os itens para então enviá-los juntos. Porém, se enviarmos os produtos separadamente você saberá com antecedência. Em ambos os casos, você será notificado por e-mail e SMS.

3. Visite o Estudio Iyengar Yoga em São Paulo
O Estudio Iyengar Yoga é um centro de referência de Yoga em São Paulo e reúne aulas, workshops e cursos de formação. Lá (se tiver sorte!) você pode encontrar produtos Calça Thai. Isso porque eles revendem alguns de nossos produtos, mas geralmente não há muito estoque! O Estudio Iyengar Yoga fica na Rua Cel. Oscar Porto 836, Paraíso, São Paulo

4. Compre em nosso site internacional Hippie-Pants.com e receba sua encomenda no exterior
Pelo site Hippie-Pants.com, enviamos nossos produtos para todo o mundo, sem taxas de correio para entrega (uma vez que o Brasil é o único país de que temos ciência onde se aplica essa cobrança). Já enviamos Calças Thai para Eslovênia, Zâmbia e Nova Zelândia! Se optar por essa forma, recomendamos que você planeje sua compra com antecedência.

Por fim, lembre-se que a cobrança pode não durar para sempre: há um procedimento em análise no 8º Ofício do Consumidor, em Santa Catarina. O Ministério Público Federal do estado catarinense informa que o procurador da república responsável pela procuradoria de direito do consumidor, na capital de Florianópolis, avalia a legalidade da cobrança criada pelos Correios.

Uma cobrança semelhante ao despacho postal foi lançada pelos Correios em 2016 e julgada improcedente pelo Supremo Tribunal Federal, conforme explica Felipe Borba, advogado especialista em direito do consumidor. “Um despacho já foi objeto de julgamento no STF, não exatamente nestes termos de agora, mas o ministro Marco Aurélio se manifestou contrário à cobrança de taxas como esta”.

Para saber os detalhes da Cobrança de Despacho Postal e o passo a passo para pagamento, confira o post que fizemos sobre isso. Caso tenha alguma dúvida ou precise de ajuda, nos contate pelos comentários ou pelo ‘Fale Conosco’.

 


Kimonos Femininos: conheça sua origem e como usar

Se nós te perguntarmos qual é a vestimenta tradicional usada no Japão, provavelmente você nos dirá que são os kimonos. Essa associação está correta, mas há muito mais sobre a origem dessa peça, além de curiosidades, que tornam o kimono ainda mais interessante!
Neste post, vamos te contar um pouco sobre a concepção dessa vestimenta, porque usá-la e como vesti-la. Vem conferir!

Como surgiram
Acredita-se que os kimonos japoneses são uma versão de outra vestimenta usada em uma região da China. E você sabe o que significa a palavra ‘kimono’? Originalmente ela era usada de forma genérica, se referindo a qualquer tipo de roupa japonesa. Foi apenas depois que a palavra assumiu novo sentido e se tornou sinônimo dessa tradicional vestimenta japonesa.

Tradicional Vestimenta Japonesa

Os kimonos que vemos hoje por aí (sejam os tradicionais, ou os ‘repaginados’) são inspirados nos modelos que surgiram por volta dos anos 800 com uma técnica em que o tecido era cortado ‘em linha reta’. O passo seguinte era costurar esses pedaços criando uma peça única em forma de T. Assim, os fabricantes de kimono não precisavam se preocupar com o tipo físico de quem fosse usá-lo. Além disso, a vestimenta era fácil de ser dobrada e adaptável ao clima, uma vez que seu material era respirável (bom para os dias quentes), e podendo ser usada em camadas (pensando nos dias frios). Prático, não é?

Todos esses aspectos fizeram com que o kimono fosse algo comum na rotina dos japoneses, sendo usado por homens (incluindo os Samurais), mulheres e crianças. De 1.603 a 1.868, a fabricação de kimonos se tornou uma forma de arte. Eles chegaram a ser tão valiosos que os pais os entregavam aos filhos como herança de família. Mas, passado esse período, o Japão começou a sofrer forte influência de culturas estrangeiras e o governo encorajou a população a adotar roupas e hábitos ocidentais. Por outro lado, no início do século XX, surgiam as primeiras versões dos kimonos na Europa.

Hoje em dia, os japoneses raramente usam kimonos em suas rotinas. A tradicional vestimenta é escolhida apenas em ocasiões especiais, como casamentos, funerais e cerimônias do chá.

 Versão europeia do kimonoVersão europeia do kimono

Por que vestir os kimonos femininos
O kimono é super versátil podendo te acompanhar em diversos momentos (seja na praia, no campo ou na rua) e de diferentes formas – como saída de praia, terceira peça ou uma opção mais leve e casual de um casaco ou jaqueta – principalmente nas estações mais quentes do ano.

Assim como em sua origem, o kimono ainda é uma peça extremamente democrática! Não importa sua altura e peso, o kimono será uma ótima companhia. Mesmo as gravidinhas podem usar essa inspiração oriental para dar mais elegância e charme às composições do dia a dia.

Então, se você quiser trazer mais originalidade à sua forma de vestir, além de proteger daquele ventinho frio, deixe o kimono fazer parte da sua rotina!

Como usar o kimono
Para criar uma composição harmoniosa, leve em conta o modelo e as cores do seu kimono. Por ser fluido e oversized, combine-o com peças mais justas, como calças com corte reto, shorts, saias e vestidos com modelagem mais próxima ao corpo. Não se esqueça do biquíni e do maiô! Com certeza, essa será uma saída de praia delicada e estilosa.

Se quiser dar um toque boho, aproveite: o kimono tem a cara e toda a suavidade desse estilo. Aí, é só caprichar nos acessórios. Já para os pés, você pode fazer sua escolha pensando no clima e na ocasião. Para um festival, você pode usar uma botinha ou tênis. Já para momentos casuais, o kimono vai bem com sapato de salto, rasteirinha e mule.

Kimono Pluma
Em julho deste ano, lançamos o Kimono Pluma que traz o estilo do modelo tradicional somado à vibe Thai que amamos!

Gostou de saber mais sobre o kimono? Nos conte nos comentários. E se quiser garantir o seu com toda a vibe e estilo tailandeses, visite a página do Kimono Pluma. Ele é vegano, superdelicado, produzido artesanalmente (assim como todas as nossas peças) e está disponível em 4 cores!


Hippie ou Boho? A gente explica

Por serem parecidos e contemporâneos, os estilos Hippie e Boho podem ser facilmente confundidos. No entanto, eles são bastante distintos se olharmos de perto algumas questões, como as origens desses estilos e suas principais características.

Para que as particularidades de cada um se tornem claras, neste post, vamos falar um pouco sobre história, quem veste esses estilos, entre outras curiosidades. Assim, fica mais fácil entender as diferenças entre o Hippie e o Boho! Confira.

Estilo Hippie

Hippies no surgimento do movimento na década de 60

Origens
Enquanto o estilo Hippie surgiu nos Estados Unidos no final da década de 60 e tinha como principal mote a liberdade, a paz e o amor, o Boho (ou Bohemian) ainda estava para nascer em outro continente. Na Europa, esse estilo teve forte inspiração dos boêmios da década de 20 e, em 70, o movimento que unia moda e arte ganhou as ruas de Londres.

Muito além das roupas, os hippies defendiam um estilo de vida diferente do que era almejado na época. Seus seguidores estavam indo na contramão da cultura corporativa, dos valores conservadores e dos padrões estabelecidos pela sociedade. Para eles, a harmonia e a unidade eram mais importantes e esses atributos se refletiam no que vestiam, representando seus valores econômicos, sociais e políticos por meio da moda.

Ao contrário do Hippie, o estilo Boho não tem as mesmas motivações, apesar de também inspirar um estilo de vida. Basicamente, as razões para o seu surgimento são culturais e estéticas, em que as roupas representariam um estado de espírito. Segundo definição do dicionário, boêmio é uma pessoa que leva a vida de um jeito despreocupado; que tem hábitos sociais informais e não convencionais, como um artista, músico ou escritor, por exemplo.

Estilo BohoEstilo Boho durante a década de 70

Quem veste e como veste 
Por ter gênero fluido, o estilo Hippie é bem democrático, vestindo homens e mulheres de forma igual. Para eles, as palavras de ordem são: praticidade e conforto. Imaginando uma pessoa que siga esse estilo, as peças escolhidas poderiam ser: jeans surrados, cordões de contas, sandálias... ah, as cores vibrantes também não podiam faltar.

Já o Boho é usado essencialmente por mulheres, defendendo a feminilidade do visual e até mesmo um ar mais romântico. Se pudéssemos imaginar a pessoa que adotaria o estilo Boho, possivelmente ela seria uma mulher independente, que foge dos padrões, de espírito livre e que adora viver a vida com roupas de visual descontraído, feitas com tecidos leves e naturais, além de acessórios com a mesma vibe.

Hippie-Chic e Boho-Chic
Se o Hippie é despreocupado e o Boho elegante, as versões ‘Chic’ dos dois estilos são mais elaboradas e trazem elementos mais específicos para as composições. Essa ‘repaginada’ se tornou popular logo no início dos anos 2000.

O Hippie-Chic traz cores mais sóbrias, menos vibrantes, em estampas étnicas e florais. Já o Boho-Chic se propõe a unir o moderno e o antigo, fazendo um mix entre épocas com o desafio de se manter leve e arejado.

Hippie-Chic X Boho-Chic

As coleções da Calça Thai têm uma forte pegada hippie-boho

Cada vez mais vemos pessoas interessadas pelos estilos Hippie e Boho. Alguns podem acreditar que essa seja uma onda passageira, como uma tendência, mas moda vai muito além de roupas que ficam em alta ou caem em desuso. Também é possível pensar que exista algo mais relevante por trás da aparência, como uma mudança de mentalidade em que as pessoas desejam vestir algo para elas mesmas e que as lembrem do que realmente importa.

Assim, podemos dizer que hoje em dia, quem usa esses estilos busca mais do que uma peça de roupa bonita e diferente; busca vestir uma nova maneira de se conectar com a natureza, com as pessoas e com o mundo!

Se você já usa os produtos Calça Thai com esses estilos no seu dia a dia, nos conte nos comentários! Ou, se você resolveu adotar o Hippie e o Boho depois de ler esse post, compartilhe com a gente também!


4 estilos que você pode seguir usando sua Calça Thai!

Nós já te mostramos aqui no Blog como as nossas calças podem te acompanhar em diversos momentos: seja para curtir um festival, aproveitar o dia no campo ou na praia, e também em sintonia com a natureza! Mas se você acha que as nossas calças ficam restritas à momentos de lazer ou prática de yoga, meditação e dança, está enganado!
Neste post, nós vamos compartilhar ainda mais inspirações de look com você. Serão mais dicas usando como referência algumas das nossas fotos favoritas de quem veste as nossas calças no dia a dia! Vamos lá?!

Look urbano
Se você mora numa grande cidade ou está passando uma temporada em alguma, já deve ter reparado nesse estilo por aí. Basicamente, pra compor um look urbano você deve pensar em diversidade (e conforto, sempre!). Não importa se está na moda ou não, se todos estão usando ou não. O que vale aqui é você criar suas próprias composições e gostar delas. Lembrando que é um estilo mais descomplicado, então opte por poucas peças e acessórios.
Nossa dica principal é: não tenha medo de fazer combinações inusitadas ou com mescla de estampas e tecidos! A linguagem das ruas é cheia de personalidade, assim como você e as nossas calças!

Look urbano

Look boho
Nós amamos a pegada boho. E não é à toa que as nossas calças conversam muito com esse estilo! Caso não tenha ouvido falar, o boho (ou hippie-boho ou hippie-chic) tem como conceito um estilo mais livre e nômade. Essa característica está fortemente presente nos tecidos dessas peças (leves e fluidos) assim como nos detalhes (estampas e bordados). Algumas das nossas calças que seguem esse estilo são os modelos: Vibe, Mata, Onda e Pena; além do Kimono Pluma.
Para completar, não esqueça dos acessórios com elementos naturais, como pedras e madeira. Chapéus e faixas para a cabeça também são muito bem-vindos!

Look boho

Look casual
Esse é aquele visual que você pode usar em vários momentos, de dia, ou a noite. Pensando em sua Calça Thai, para esse estilo, tanto faz se ela é lisa ou estampada. O importante é você ter em mente conforto e praticidade. Daí, é só criar as combinações que pode fazer pensando onde irá.
Lembre-se de escolher os calçados e acessórios ideais para a ocasião! Por exemplo, com tênis, você está pronto para algo mais informal, como um passeio no meio da tarde. Já com uma sandália e acessórios naturais (de preferência muitos!) você pode curtir o estilo thai de um jeito mais elaborado, como em um jantar com os amigos.

Look casual

Look viajante
Quando pensamos em viajar, logo bate a dúvida do que levar na mala e como devemos nos vestir, seja durante o caminho ou quando chegarmos no destino. Mas uma coisa é verdade: independentemente de onde esteja indo, conforto não pode faltar!
E aliando isso à versatilidade, nossos modelos Pavão, Clássica, Thai e Flor são ótimas pedidas, já que você pode usar como calça e como macacão! Duas peças em uma e você ganha espaço na mala, além de garantir mais de um uso para a mesma roupa.
Não importa se é uma viagem curtinha, de final de semana apenas, ou aquele tão esperado mochilão pela América do Sul; vestindo sua Calça Thai você se sentirá leve e livre para curtir cada momento!

Look viajante

Agora nós queremos saber: você já usa as nossas calças nos estilos que comentamos aqui, ou de formas que ainda não falamos?! Nos conte nos comentários.

Ah! E não esqueça de compartilhar suas fotos com os nossos produtos usando a hashtag #MinhaCalçaThai! Vamos adorar ver como as nossas calças, blusas, bolsas e kimonos te acompanham no dia a dia!


Cobrança de Despacho Postal sobre Mercadorias Importadas: saiba mais e tire suas dúvidas

Em 27 de agosto deste ano, os Correios deram início a Cobrança de Despacho Postal, no valor de R$ 15, para a entrega de encomendas internacionais. Segundo a empresa, a cobrança será válida para todas as embalagens que vierem do exterior, independentemente do tamanho, peso ou valor. Anteriormente, o pagamento era exigido somente para os produtos tributados pela Receita Federal. Agora, até itens de baixo valor serão taxados.

Segundo o site dos Correios “o despacho postal não deve ser confundido com tributo ou frete e se refere às atividades de suporte ao tratamento aduaneiro realizadas pelo operador postal, como o recebimento dos objetos e inspeção por raio X, formalização da importação no sistema da Receita Federal (quando for o caso), tratamento de eventuais inconformidades (objetos proibidos, perigosos ou com exigências específicas impostas pela autoridade aduaneira para admissão), recolhimento e repasse dos impostos à Receita Federal (quando houver tributação), disponibilização de informações ao importador para desembaraço da remessa via internet, entre outras.”

Como os produtos da Calça Thai são produzidos na Tailândia e enviados diretamente ao Brasil, para que você receba sua encomenda, a cobrança deverá ser paga aos Correios. Para facilitar o entendimento do processo, confira abaixo o passo a passo que criamos:

1 – Acompanhe o rastreamento da sua encomenda pelo site dos Correios
 

Acompanhe o rastreamento da sua encomenda pelo site dos Correios

O primeiro passo é realizar a pesquisa do objeto no rastreamento (por meio do código de acompanhamento) e cadastrar-se no idCorreios. Para acessar o rastreamento de objetos, clique no link:
https://www2.correios.com.br/sistemas/rastreamento/default.cfm

Acompanhe o rastreamento da sua encomenda

Cadastre-se no idCorreios


2 – Realize o pagamento da cobrança

Realize o pagamento da cobrança

Após esse cadastramento, será possível efetuar o pagamento pela internet, por meio de boleto bancário ou cartão de crédito. O pagamento do despacho postal ficará disponível ao cliente por 30 dias. Após essa data, as encomendas sem pagamento serão devolvidas à origem.

3 – Após o pagamento da cobrança

Confirmação de pagamento - Correios

Assim que os Correios confirmarem o pagamento da taxa (acima, exemplo de e-mail de confirmação), você saberá o prazo de entrega e sua encomenda será enviada para o endereço solicitado. Segundo os Correios, o prazo de entrega passa a contar a partir da data de confirmação do pagamento da taxa.

Se você ainda ficou com alguma dúvida, confira as Perguntas e Respostas abaixo:

Essa cobrança é comum em outros países?
A Calça Thai envia produtos para todo o mundo e o Brasil é o único país (que temos ciência) onde se aplica essa cobrança.

Essa cobrança é legal? Ela irá durar para sempre?
Não sabemos dizer se a cobrança é legal. Considerando a nossa experiência de envio de mercadorias para todo o mundo, não temos ciência de nenhuma outra empresa ou instituição nacional que aplica uma sobretaxa em encomendas estrangeiras, seja na Europa, na América do Norte ou Ásia. Então, mesmo se for legal, uma cobrança como essa está fora dos padrões internacionais.
Já sobre sua duração, não podemos dizer ao certo. Isso porque segundo o jornal Folha de São Paulo, poucos dias após o início da cobrança, existiam ao menos quatro propostas para sua revogação. No site e-Cidadania, há um Ideia Legislativa que pede o fim da cobrança e será debatida pelos Senadores. Para apoiar, acesse o link:
https://www12.senado.leg.br/ecidadania/visualizacaoideia?id=109547&voto=favor

Quem está fazendo a Cobrança de Despacho Postal: a Calça Thai ou os Correios?
Os Correios. Segundo a empresa explica em seu site, “o serviço foi instituído pelos Correios devido ao crescimento exponencial das importações e a consequente elevação dos custos de operação para nacionalização das encomendas.” Assim, todas as encomendas internacionais estarão sujeitas à cobrança do serviço de Despacho Postal, independentemente de serem tributadas pela Receita Federal.

Quais métodos de pagamento posso usar?
O pagamento da Cobrança de Despacho Postal aos Correios deve ser feito somente pelo Cliente (usando seu CPF), de forma online: diretamente na página de rastreamento dos Correios por meio de boleto bancário ou cartão de crédito. Lembrando que, em geral, o pagamento por boleto é confirmado em até três dias úteis. 

A cobrança será feita por encomenda recebida?
Sim, você terá que pagar aos Correios por pacote recebido. E como ao comprar mais de um produto em nosso site (de uma só vez), pode ser que você receba sua encomenda em pacotes separados, estamos procurando soluções para minimizar essa questão sem aumentar os custos para você, cliente Calça Thai.

Posso contestar a Cobrança de Despacho Postal?
As encomendas enviadas pela Calça Thai não são tributadas, então nenhum cliente precisa pedir reembolso dos seus impostos. Caso queira contestar a Cobrança de Despacho Postal, recomendamos que você procure a Ouvidoria dos Correios ou órgãos de proteção e defesa do consumidor do seu Estado, como o Procon-SP, embora não possamos garantir que você consiga o ressarcimento.

Importante:
- Mesmo que você tenha feito a compra do seu produto Calça Thai antes do início da cobrança da taxa, você deverá fazer o pagamento aos Correios para receber sua encomenda. De acordo com a empresa, todos os produtos que chegarem ao Brasil a partir do dia 27 de agosto de 2018, mesmo que tenham sido comprados antes da data, serão taxados.


Calça Thai no Festival Yoga Pé na Areia

Nós já te contamos que a Calça Thai e a prática do Yoga têm tudo a ver. E foi pensando nisso que estaremos presentes em um evento muito especial: a primeira edição do Festival Yoga Pé na Areia, que acontecerá na Baixada Santista (SP), dia 30 de setembro – domingo.

Festival Yoga Pé na Areia

O Festival reunirá yoga, meditação e música com toda a boa vibe da praia! A iniciativa surgiu da So Ham Yoga & Música e da Humaniversidade com o intuito de trazer para Santos a diversidade do yoga, apresentando professores conhecidos e seus pontos de vista. Já para a escolha do local, os organizadores consideraram que a Baixada Santista está povoada por muitos praticantes e diversas escolas, além da proximidade com a natureza e com mar, cenário ideal de contemplação.

O evento é pago (com ingressos divididos em lotes de acordo com o período de vendas) e inclui a participação nas práticas, workshops e palestras oferecidos pelos organizadores. A Calça Thai estará com um espaço no andar superior (área de bazar) em que a entrada é gratuita, e você não irá pagar nada para vir nos visitar!

Teremos amostras de alguns dos nossos produtos mais vendidos, então, se quiser sentir o tecido do Kimono Pluma, ou entender melhor a diferença entre cada modelo das nossas calças, essa é uma ótima oportunidade! Também teremos descontos especiais durante o evento.

Agora você já sabe: se estiver na cidade de Santos no domingo, dia 30 de setembro, venha curtir toda a sintonia do yoga, nos dar um oi e ver nossos produtos bem de pertinho! Vamos adorar te receber.

 
Festival Yoga Pé na Areia
Espaço Plataforma - Alameda Ari Barroso, 400, Ilha Porchat | São Vicente, SP.
30 de setembro de 2018, das 9h às 19h.

Clique aqui para garantir seu ingresso!

 


Conheça os rituais que os Monges Budistas seguem para se alimentar

A rotina dos monges budistas é algo que sempre desperta curiosidade. A forma como vivem e como seguem suas rotinas de devoção estão frequentemente em pauta nos meios de comunicação e não é para menos: com um dia a dia simples e austero, os monges se dividem entre suas tarefas, momentos de oração e busca de autoconhecimento. Já a disciplina que eles desenvolvem é fundamental para que tudo seja feito com harmonia.

Neste post, nós vamos te contar mais sobre a alimentação dos monges budistas na Tailândia: como recebem a comida, o que podem e o que não podem comer, além dos rituais que devem seguir para se alimentarem todos os dias. Confira!

 

Monges Budistas recebendo doações de alimentos
Rotina matinal dos monges budistas
Você já deve ter visto essa imagem antes: monges com suas túnicas alaranjadas, organizados em fila, com um tipo de cuia à tiracolo aguardando por alimentos. Então, para começarmos, saiba que os monges budistas (seja na Tailândia, ou em outros lugares do mundo) não podem cozinhar ou comprar alimentos. Tudo o que eles comem deve ser recebido como doação, ofertado por fiéis e seguidores do budismo.

Outro aspecto importante sobre isso, é que os monges não podem ‘estocar’ as doações de alimentos que recebem. Ou seja, a ronda que fazem por comida deve ser feita diariamente, pela manhã. Ao retornar para o templo, os monges fazem a seleção do que vão comer e planejam como vão se alimentar ao longo daquele dia. Muitos fazem apenas uma refeição, enquanto outros dividem os alimentos recebidos entre o café da manhã e a última refeição (que sempre deve acontecer antes do meio-dia).

 

O arroz é um dos alimentos que pode ser ofertado aos Monges
O que os monges budistas podem comer
Os alimentos que podem ser ofertados aos monges para a refeição matutina estão em cinco categorias: alimentos básicos (como arroz), sobremesas, alimentos secos ou em conservas, peixes e carnes. Mesmo tendo feito a última refeição até o meio-dia, os monges budistas podem comer alguns alimentos ao longo do dia, como: mel, açúcar e xarope, ghee, manteiga e queijo. Importante ressaltar que as doações de comida não precisam ser feitas em grande quantidade. O que vale é a intenção da pessoa em doar. O alimento também não precisa ter sido feito por quem está doando. Se estiver viajando pela Tailândia e quiser fazer sua doação, você pode comprar comida em estabelecimentos locais e ofertar aos monges.

Quanto às restrições alimentares, existem dez tipos de carne que os monges não podem comer: carne humana, carne de elefante, de tigre e de tigre amarelo, de leopardo, de urso, de leão, de cobra, de cachorro e de cavalo.


Os Monges Budistas só podem se alimentar por doações
Como os monges budistas devem se alimentar
Toda a refeição que o monge budista faz está sempre rodeada de devoção e respeito ao Buda. Por essa razão, antes de se alimentarem, eles oferecem a comida à imagem sagrada com cantos, reverências e orações.
Caso o alimento não tenha sido ofertado, ou tenha sido doado no dia anterior, o monge não poderá consumi-lo.

Já os alimentos que não são selecionados pelos monges nunca são descartados. Prioritariamente, freiras e crianças que ajudam nas redondezas dos templos são contemplados. Em seguida, pessoas pobres chegam para as doações que são feitas ao meio-dia. Toda e qualquer sobra é então oferecida aos cães e gatos do templo. Ou seja: zero desperdício!

Mesmo tendo familiares e conhecidos nas regiões que circundam o templo, os monges budistas não podem pedir por um determinado tipo de comida, como o prato que mais gostam. Caso alguém diga o que for levar a eles no dia seguinte, o monge também não poderá comer o alimento. Ao todo, são 30 regras sobre alimentação que os monges budistas devem seguir.


Interessante, não é?! O mais importante em conhecer essa rotina é perceber que, para os monges budistas, receber a doação de alimentos é algo muito maior do que apenas a manutenção do corpo e da saúde. Eles integram um tipo diferente de economia: a cultura de doações, em que retribuem tudo o que recebem com ensinamentos aos seus seguidores. Para os monges budistas, a doação faz parte do sentido da vida.


Dicas de como usar Roupas Thai no inverno

Uma das principais características que levamos em conta no momento de criar e fabricar nossos produtos é o conforto. Por essa razão, nossas peças são conhecidas pela leveza. Mas isso não significa que elas são ideais apenas nas temperaturas mais quentes! Neste post, nós compartilhamos com você cinco dicas de como usar Roupas Tailandesas no inverno. Confira!

Dicas de como usar Roupas Thai no inverno
1) Escolha peças com tecidos 100% algodão!
Como você já sabe, nossos produtos são feitos em tecidos 100% algodão e algodão rayon.
Enquanto o algodão rayon é um tecido mais leve e suave, o 100% algodão é encorpado e consistente se comparado ao algodão rayon, sendo perfeito para temperaturas mais baixas. Então, escolha os modelos Onda, Mata, Pescador, Om, Evolução, Vibe e Tribal para ter um conforto térmico extra nessa estação.
Importante lembrar que mesmo sendo boas companheiras em climas frios e amenos, as Calças Thai em algodão também são superconfortáveis e arejadas no verão! Ou seja, elas podem te acompanhar em diversos momentos, independentemente da estação. 

2) Tenha leggings e meias-calças como aliadas.

As Calças estilo Thai (com corte mais amplo e gancho mais baixo) permitem que você use outra peça sob esses modelos se quiser um aquecimento extra. São elas: a Calça Clássica, Flor, Mata, Onda, Pavão, Thai e todas das Coleções Masculinas

Então, para driblar o frio, vista uma calça segunda pele, como uma legging ou meia-calça por baixo do modelo escolhido!

3) Prefira vestir blusas de manga comprida ao invés de manga curta.
Se a parte de baixo está resolvida, vamos falar da parte de cima! Opte por blusas de manga longa, que além de oferecerem conforto, irão manter a temperatura do seu corpo. Quanto mais você se proteger do frio e do vento, melhor será sua sensação térmica.

Lembrando que temos dois modelos de blusas com manga comprida: a Camisa Serena e a Camisa Mandala – ambas em tecido 100% algodão. Por terem o estilo bata, elas também possibilitam que você use outra peça como segunda pele naqueles dias em que o frio der as caras!

 
Prefira vestir blusas de manga comprida ao invés de manga curta
4) Lembre-se de usar uma terceira peça!
Se mesmo com todas as dicas anteriores você quiser se proteger ainda mais do frio, ou então deixar o visual mais elaborado, tire do armário aquele colete ou jaqueta. A dica fica por conta do corte (opte por peças mais justas ao corpo) e do comprimento (mais curto)! Assim, você garante o estilo thai e a proteção necessária para viver os dias de inverno com conforto e saúde.

5) Calçados e Acessórios também são importantes aliados
Não adianta você se preocupar com a calça e com a blusa se seus pés não estiverem protegidos do frio. Sapatos fechados mais informais, como tênis casuais, docksides, slip on e mocassins combinam super bem com o nosso estilo. Gorros, lenços e cachecóis, além de serem peças que dão um charme a mais, também ajudam a manter o corpo quentinho e protegido.

Como você viu, mesmo no inverno a Calça Thai continua sendo uma ótima companheira. Basta equilibrar a composição que escolher com peças capazes de te manter aquecido (e confortável, claro) nas temperaturas mais baixas do ano. Além disso, não é só de preto, branco e cinza que fazemos uma composição de inverno! Nossas Calças garantem conforto térmico e ainda trazem mais cor e vida para os dias frios. Para não ter erro, lembre-se de combiná-las com peças neutras; assim você evidencia toda a personalidade thai de um jeito descomplicado.

Agora que você já está por dentro de todas essas dicas, visite as páginas dos modelos que indicamos e traga mais alegria para o seu inverno com todo o simbolismo tailandês!