Conheça os rituais que os Monges Budistas seguem para se alimentar

de Juliana Cerresi em August 24, 2018

A rotina dos monges budistas é algo que sempre desperta curiosidade. A forma como vivem e como seguem suas rotinas de devoção estão frequentemente em pauta nos meios de comunicação e não é para menos: com um dia a dia simples e austero, os monges se dividem entre suas tarefas, momentos de oração e busca de autoconhecimento. Já a disciplina que eles desenvolvem é fundamental para que tudo seja feito com harmonia.

Neste post, nós vamos te contar mais sobre a alimentação dos monges budistas na Tailândia: como recebem a comida, o que podem e o que não podem comer, além dos rituais que devem seguir para se alimentarem todos os dias. Confira!

Monges Budistas recebendo arroz como doação de alimento


Rotina matinal dos monges budistas

Você já deve ter visto essa imagem antes: monges com suas túnicas alaranjadas, organizados em fila, com um tipo de cuia à tiracolo aguardando por alimentos. Então, para começarmos, saiba que os monges budistas (seja na Tailândia, ou em outros lugares do mundo) não podem cozinhar ou comprar alimentos. Tudo o que eles comem deve ser recebido como doação, ofertado por fiéis e seguidores do budismo.

Outro aspecto importante sobre isso, é que os monges não podem ‘estocar’ as doações de alimentos que recebem. Ou seja, a ronda que fazem por comida deve ser feita diariamente, pela manhã. Ao retornar para o templo, os monges fazem a seleção do que vão comer e planejam como vão se alimentar ao longo daquele dia. Muitos fazem apenas uma refeição, enquanto outros dividem os alimentos recebidos entre o café da manhã e a última refeição (que sempre deve acontecer antes do meio-dia).

arroz doação de alimento monges budistas

O que os monges budistas podem comer

Os alimentos que podem ser ofertados aos monges para a refeição matutina estão em cinco categorias: alimentos básicos (como arroz), sobremesas, alimentos secos ou em conservas, peixes e carnes. Mesmo tendo feito a última refeição até o meio-dia, os monges budistas podem comer alguns alimentos ao longo do dia, como: mel, açúcar e xarope, ghee, manteiga e queijo. Importante ressaltar que as doações de comida não precisam ser feitas em grande quantidade. O que vale é a intenção da pessoa em doar. O alimento também não precisa ter sido feito por quem está doando. Se estiver viajando pela Tailândia e quiser fazer sua doação, você pode comprar comida em estabelecimentos locais e ofertar aos monges.

Quanto às restrições alimentares, existem dez tipos de carne que os monges não podem comer: carne humana, carne de elefante, de tigre e de tigre amarelo, de leopardo, de urso, de leão, de cobra, de cachorro e de cavalo.

Monge Budista recebendo arroz como doação de alimento

Como os monges budistas devem se alimentar

Toda a refeição que o monge budista faz está sempre rodeada de devoção e respeito ao Buda. Por essa razão, antes de se alimentarem, eles oferecem a comida à imagem sagrada com cantos, reverências e orações.
Caso o alimento não tenha sido ofertado, ou tenha sido doado no dia anterior, o monge não poderá consumi-lo.

Já os alimentos que não são selecionados pelos monges nunca são descartados. Prioritariamente, freiras e crianças que ajudam nas redondezas dos templos são contemplados. Em seguida, pessoas pobres chegam para as doações que são feitas ao meio-dia. Toda e qualquer sobra é então oferecida aos cães e gatos do templo. Ou seja: zero desperdício!

Mesmo tendo familiares e conhecidos nas regiões que circundam o templo, os monges budistas não podem pedir por um determinado tipo de comida, como o prato que mais gostam. Caso alguém diga o que for levar a eles no dia seguinte, o monge também não poderá comer o alimento. Ao todo, são 30 regras sobre alimentação que os monges budistas devem seguir.


Interessante, não é?! O mais importante em conhecer essa rotina é perceber que, para os monges budistas, receber a doação de alimentos é algo muito maior do que apenas a manutenção do corpo e da saúde. Eles integram um tipo diferente de economia: a cultura de doações, em que retribuem tudo o que recebem com ensinamentos aos seus seguidores. Para os monges budistas, a doação faz parte do sentido da vida.

Loja Calça Thai

Escrito por

Se você gostou desse post, você também pode gostar:

8 looks com kimono: como usar a peça com estilo
8 looks com kimono: como usar a peça com estilo
O kimono, que tem origem na tradição da cultura oriental, é uma peça de vestuário versátil e elegante que tem conquistado cada ...
Saiba mais
Como usar calça envelope de acordo com o seu estilo
Como usar calça envelope de acordo com o seu estilo
Sabe aquelas peças de roupa clássicas e curingas, que vão bem em qualquer época e que você pode adaptar para diferentes ocasiõe...
Saiba mais
Por Que Produzimos na Tailândia: Conheça o Processo Sustentável da Calça Thai
Por Que Produzimos na Tailândia: Conheça o Processo Sustentável da Calça Thai
A Calça Thai é mais do que uma marca que produz roupas confortáveis e estilosas. Acreditamos em fazer as coisas de forma difere...
Saiba mais

3 comentários
de João Pedro em June 22, 2021

Eu sou budista, e acho muito estranhas essas práticas que envolvem culto a Buda muito ritualismo.

Talvez seja porque eu li muitas obras com viés confucionista ou seja muito estoico, mas não consigo ver sentido nelas. A Iluminação não é alcançada por rituais ou práticas de devoção, mas quando a autoconsciência se expande. Acredito que só agradecer pelos alimentos é o bastante, não precisa de ritual.

de Angelica em June 19, 2020

Eu acho muito chato

de Dalva Germano em June 14, 2020

Sempre fui curiosa com respeito ao Budismo. Agora a curiosidade bateu-me mais, quando à menos de 10 dias fui trabalhar para uma família do Vietname, cuidando dos seus filhos bebés de 1,4 ano. Como nanny trabalhei para várias famílias com o meu jeito carinhoso, pude perceber que com esta família à prática de carinho para com os bebés não me era permitido afirmando os pais, que a tradição (país ou budista) não permite que os dê protecção quando choram,quando imploram por carinho,quando se sentem aflitos com dores para fazer necessidades maiores, etc., estes devem aprender que continuando a chorar ficarão isolados até que se calem, sem assistência moral e carinhosa, para que despertem para à vida entendendo desde já que têm que ser independentes, sem desejos infantis, ou seja interpretado por eles, caprichos. As exigências à meu ver,são muitas e pesadas para bebés com idade deles, como interromper o sono, devem dormir no parte da manhã apenas 1 hora e 1 hora também na parte da tarde. Perdendo essa hora exigida terão que aguentar firmes até à hora seguinte obrigatória para dormir. Tudo isto deixou-me exausta, indignada e francamente, muito triste, de tal maneira que vendo-os chorar implorando por carinho e sono sem os puder satisfazer, vi-me obrigada a deixar este trabalho por me sentir sensível à todas estas regras, estando a trabalhar para esta família a apenas um mês e uma semana.
Tudo isto bateu-me muita curiosidade pois à mãe que é Budista, afirmou-me muito fria que essas são formas certas de educar quanto antes os bebés para que futuramente estejam preparados para à vida.
Seguramente estejam certos, e como tal deixo o meu comentário para que me ajudem a perceber esta teoria, se pertence à religião Budista ou ao País (Vietname) ou simplesmente ao carácter forte principalmente da mãe dos bebés.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Os comentários devem ser aprovados antes de aparecer


VOLTAR PARA O TOPO