Conheça o Sai Sin: o Sagrado Fio Branco Tailandês – Calça Thai

Conheça o Sai Sin: o Sagrado Fio Branco Tailandês

23 Outubro 2019
0 comments

Escrito por Juliana Cerresi

Conheça o Sai Sin: o Sagrado Fio Branco Tailandês

Se você vai à Tailândia com certa frequência, é bem provável que já tenha recebido pulseiras brancas em algum momento dessas viagens. Ao contrário da simplicidade que possa aparentar, essa pulseira de algodão, chamada de "Sai Sin", é repleta de significados e é sobre ela que vamos falar neste post!

O significado do Sai Sin
O Sai Sin pode ser oferecido a você por um tailandês e até mesmo um monge. Mas antes disso, saiba que a linha que compõe a pulseira foi abençoada por um monge budista. O Sai Sin dá proteção e saúde a quem o usa e sua cor normalmente é branca por representar a pureza no budismo; mas dependendo da região em que você está e da ocasião, pode ser que o Sai Sin tenha outras cores, como o vermelho. O sagrado fio branco não é usado apenas no pulso. Ao visitar um templo tailandês em um importante feriado budista, certamente você verá linhas de barbante branco ‘saindo’ das principais imagens de Buda e passando por toda a extensão do templo.

Sai Sin ligado às principais imagens de Buda passando por toda a extensão do templo
O Sai Sin em cerimônias budistas
Ele está presente em diversos ritos na Tailândia, incluindo casamentos e funerais, além de cerimônias de bênção quando alguém se muda para um novo lar. Nos casamentos tradicionais, o Sai Sin se conecta à cabeça do casal de noivos. Amigos e familiares também amarram Sai Sins nos pulsos dos noivos. Já em alguns funerais tailandeses, o fio branco pode ser visto ao redor do crematório (em três voltas) para desejar boa sorte ao falecido e proteção na próxima vida.

Em cerimônias maiores, geralmente há uma grande bola de barbante que primeiro envolve a imagem de Buda para depois ser passada aos monges. Feito isso, o fio é passado para todos os demais presentes. Nesse momento, todos estão fazendo a saudação Thai (conhecida como wai, em que as mãos estão unidas em frente ao rosto). O fio passa entre as mãos até chegar à cabeça onde é amarrado após algumas voltas, mas também pode ficar apenas ao redor dos dedos. O importante é que o fio conecte todos aos monges e à imagem de Buda. Simbolicamente, o cântico entoado pelos monges e o mérito envolvido são então transmitidos ao longo do fio, alcançando todas as pessoas presentes.

Sai Sin conectado à cabeça durante cerimônia budista
Há alguma regra de etiqueta para uso do Sai Sin?
Você não precisa ser budista para aceitar o Sai Sin. Normalmente ele é oferecido como um ato de hospitalidade, então pense nele como um amuleto da sorte se alguém quiser amarrá-lo no seu pulso. Nunca recuse o Sai Sin pois será desrespeitoso com quem está oferecendo-o a você.

Caso esteja em um templo e um monge queira amarrar o Sai Sin em torno dos seus pulsos, é educado fazer uma pequena doação, de pelo menos 20 bahtes (moeda tailandesa), em uma das caixas que estão disponíveis para isso. Uma curiosidade é que como monges e mulheres não podem se tocar, ao ver um monge prendendo o Sai Sin no pulso de uma mulher, repare como ele é cuidadoso para não encostar nela.

Como nós já te contamos, o Sai Sin carrega o mérito e a proteção como significados e ao assumir a forma de um círculo (seja em volta do pulso ou da cabeça), acredita-se que o fio tenha um poder protetor ainda mais forte por seu formato contínuo.

Sai Sin: o Sagrado Fio Branco Tailandês

Ao usar o Sai Sin, não pense que é preciso mantê-lo por meses ou esperar que ele ‘caia’. Seguindo a crença budista, você pode usá-lo por pelo menos três dias. Isso porque o três é um número muito significativo para eles por representar a Joia Tripla ou as Três Joias do budismo: Buda, Dharma (os ensinamentos de Buda) e Sangha (a vida monástica). Assim, ao usar o seu Sai Sin por esse tempo você mostrará que apreciou o presente recebido. Para removê-lo a dica fica por conta das tradições antigas que dizem que você deve desatar o fio suavemente ao invés de cortá-lo.

Loja Calça Thai

Se você gostou desse post, você também pode gostar:


Deixe o seu comentário